UFRPE lança campanha para conscientização da Leishmaniose

UFRPE lança campanha para conscientização da Leishmaniose

O nome é complicado de pronunciar, mas as causas são simples. Podendo ser transmitida a seres humanos e cães pelo mosquito-palha, a Leishmaniose é uma das doenças parasitárias que mais mata no mundo, de acordo com o site Medecins sans frontiers (Médicos Sem Fronteiras), organização humanitária internacional que atua em crises humanitárias. Foi pensando no impacto da doença para humanos e animais domésticos que a UFRPE vai promover ação educativa para conscientização sobre a doença. O “Dia D de combate à Leishmaniose” vai acontecer na próxima quinta-feira (29/08), no Hospital Veterinário (HoVet) da UFRPE. A ação é resultado da parceria entre a universidade com as empresas Melodiapet e MSD Saúde Animal, especializados em fármacos e produtos para animais.

Antes das ações do “Dia D”, a quarta-feira (28/08)será dedicada para troca de experiências e informações entre estudantes, pós-graduandos e clínicos veterinários residentes, com início de uma roda de diálogo a partir das 10h. Na quinta-feira, a atividade é direcionada para tutores de cães, das 8h às 17h. Estão previstos o atendimento dos trinta primeiros inscritos para aplicação de teste de identificação da leishmaniose visceral canina. A inscrição pode ser feita pelo link: http://bit.ly/2UdIPg7.

Na UFRPE, o professor Léucio Alves é a referência na área. O docente do Departamento de Medicina Veterinária (DVET) atua no Laboratório de Doenças Parasitárias e no Ambulatório de Leishmaniose da UFRPE. Ao falar do espaço de reprodução do mosquito-palha, que produz suas larvas em matéria orgânica em decomposição e resíduos sólidos, o docente indica as orientações para precaução da picada do mosquito-palha.

“O transmissor costuma aparecer no final da tarde até a manhã do dia seguinte. Para evitar a picada da fêmea transmissora – a única capaz de infectar – é indicado evitar resíduos sólidos e usar tela protetora nas janelas e portas, principalmente em zonas de mata e rurais”, alerta o Médico Veterinário.

A doença

A doença é transmitida pela picada do mosquito-palha infectado, causando complicações em humanos e cães. O sistema de defesa é o principal alvo do infectado pela Leishmaniose A doença tropical progride e pode manifestar os primeiros sintomas meses e até anos depois. Ainda de acordo com ONG Médicos Sem Fronteiras, em mais de 90% dos casos de Leishmaniose aparecem em 47 países endêmicos, dos quais o Brasil faz parte. A manifestação da doença se caracteriza por acessos irregulares de febre, perda de peso, fraqueza, aumento do baço e do fígado, nódulos linfáticos inchados e anemia.

Compartilhar