UFSC adotará Enem como percentual do vestibular

UFSC adotará Enem como percentual do vestibular

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) poderá valer 20% da nota final do Vestibular 2010 da Universidade Federal de Santa Catarina. De acordo parecer da Câmara de Ensino, a UFSC adotará de forma cautelosa o Enem como parte da pontuação no vestibular, e o uso desse percentual será uma opção do candidato.

A UFSC realiza três concursos agora no meio do ano (Vestibular Suplementar, Vestibular para Bacharelado e Licenciatura em Libras e Vestibular para cursos à distância. Mas a possibilidade de agregar a nota do Enem à pontuação final do concurso só entrará em vigor no final do ano, no vestibular 2010.

Aprovada por maioria, a decisão da Câmara de Ensino, leva em conta que a mudança, mesmo parcial, não encontrará total apoio nos meios acadêmicos, tendo em vista a modificação de práticas enraizadas há décadas nas estruturas universitárias.

Entretanto, destaca o autor do parecer, professor Jonny Carlos da Silva, do Departamento de Engenharia Mecânica, a posição leva em conta que existe uma ampla aceitação de que o Enem vem contribuindo para a melhoria do processo de ingresso na universidade (veja abaixo os pontos ressaltados no parecer).

O relator recomenda também a criação de uma comissão, ainda no primeiro semestre de 2009, para analisar e propor as regras do vestibular 2011.

Saiba Mais
O parecer aprovado na Câmara de Ensino da UFSC leva em conta como contribuições do Enem para a melhoria do processo de ingresso à universidade:

– O Enem trata-se de um exame claramente mais qualitativo em seu processo de avaliação, privilegiando a capacidade de compreensão de texto e o raciocínio lógico, em lugar da memorização e acumulação temporária e descontextualizada de vários conteúdos.

– Sendo o Enem uma prova menos exaustiva, a ser aplicada mais vezes ao ano, o aspecto da pressão psicológica sobre os estudantes, efeito típico do vestibular, é fortemente reduzido.

– Numa sociedade em que a informação torna-se cada vez mais acessível, o diferencial do cidadão deixa de estar no saber de caráter mais enciclopédico, típico do vestibular tradicional, e passa a ser o desafio de processar a informação transformando-a em conhecimento útil à solução de problemas.

– Sendo o Enem um exame padronizado, em tese, será possível comparar notas de alunos que realizaram as provas em anos diferentes.

– A possibilidade futura de favorecer uma mobilidade nacional é considerada válida, e pode inclusive servir para reduzir as disparidades entre as regiões do país, na medida em que potencialmente favorece a diversidade cultural no ambiente acadêmico.

 

 

Compartilhar