UFSC: Moção em defesa da área de pesquisa em Estudos de Gênero no Brasil

UFSC: Moção em defesa da área de pesquisa em Estudos de Gênero no Brasil

O Conselho Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina, reunido em sessão de 3 de maio de 2016, reitera o princípio fundamental da liberdade de expressão e de desenvolvimento de pesquisas, aspecto essencial para o progresso da ciência e para o bem-estar da humanidade e registra seu apoio a todas/os as/os cientistas que se dedicam à área de pesquisa em Estudos de Gênero.

Os estudos de gênero, desenvolvidos com seriedade e competência, entre os quais os realizados na UFSC, têm destaque nacional e internacional e partem de uma constatação central: as desigualdades e as diversidades de gênero já existiam em todas as sociedades, muito antes da criação dessa área de estudos, tendo assumido variadas formas ao longo dos séculos. Boa parte das pesquisas, além de contribuírem para o entendimento de questões epistemológicas complexas ligadas à diversidade humana, têm se dedicado ao estudo de realidades concretas relacionadas às desigualdades de gênero, favorecendo o entendimento mais amplo do assunto, de modo a construir e subsidiar políticas públicas e a permitir a extinção das violências de gênero de todo tipo.

As manifestações que visam atingir um tema específico – as pesquisas sobre relações de gênero e LGBTTTIs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros e Intersexos) -, independentemente das posições políticas ou religiosas, atacam, além da temática em si e seus resultados, os próprios fundamentos da liberdade da atividade científica em qualquer área de conhecimento.

Para que os Estudos de Gênero continuem contribuindo para os avanços das conquistas humanas e especialmente de grupos historicamente marginalizados na sociedade brasileira, a UFSC enfatiza a importância de se respeitar e preservar esta importante área da ciência brasileira.

Florianópolis, 3 de maio de 2016.

Prof.ª Roselane Neckel

Presidenta

Compartilhar