UFSCAR investiga associação de terapias para tratar artrose do joelho

UFSCAR investiga associação de terapias para tratar artrose do joelho

Pesquisa busca voluntários com artrose de joelho para avaliar associação de terapias (Foto: Freepik)

Pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da UFSCar tem como objetivo verificar se terapias complementares, como a crioterapia (terapia com gelo) e a laserterapia (terapia com laser), potencializam o efeito de um programa de exercícios terapêuticos sobre a dor, a função física e a qualidade de vida em indivíduos com osteoartrite (artrose) de joelho. Os estudos são realizados pela pós-doutoranda Ana Elisa Serafim Jorge e pelo doutorando Lucas Ogura Dantas, sob orientação de Tania Salvini, docente do Departamento do Fisioterapia (DFisio) da UFSCar.

A osteoartrite é uma das principais causas de incapacidade em adultos e idosos e diminui drasticamente a qualidade de vida. De acordo com Salvini, o joelho é a articulação mais acometida pela artrose. “Diferentes opções de tratamento estão disponíveis, mas uma combinação de cuidados não farmacológicos – que incluem a educação do paciente, exercícios, mudanças de estilo de vida e fisioterapia -, com tratamentos farmacológicos, é a mais indicada”, defende a docente. Ela acrescenta que o programa de exercícios de fortalecimento, flexibilidade e equilíbrio em pessoa com osteoartrite é considerado “padrão ouro” para o tratamento dos sintomas da doença.

O projeto em andamento prevê um protocolo de exercícios físicos e avaliará se o uso adicional da crioterapia e/ou da laserterapia contribui para diminuir os níveis da dor articular e para melhorar a função física, monitorando o uso de analgésicos e anti-inflamatórios junto aos voluntários. A pesquisa é realizada com o apoio do Hospital Universitário (HU), onde serão feitos exames de radiografia, e da Unidade Saúde Escola (USE), ambos da UFSCar. O projeto também conta com a colaboração da professora Paula Regina Serrão, do DFisio, estudantes de graduação (Andreza Arcari) e pós-graduação (Angélica Ferrari, Glauko Dantas e Jonathan Cunha) que atuam no Laboratório de Plasticidade Muscular (LaPlaM) da Universidade, além de Vitor Innocentini, profissional da Educação Física.

Os voluntários serão avaliados em testes funcionais e questionários específicos para a artrose de joelho e passarão por treinamento de fortalecimento muscular e pelas terapias complementares durante dois meses, três vezes na semana (todas segundas, quartas e sextas-feiras). Após o término do tratamento, continuam sendo avaliados e acompanhados por até seis meses. Todos receberão uma cartilha de orientação para que continuem adequadamente o programa de exercícios realizado durante a participação no projeto.

Para participar do estudo, são convidados homens e mulheres com sinais (no exame radiográfico) e sintomas de osteoartrite de joelho, como dor e limitação física, com idade entre 40 e 75 anos, e que apresentem índice de massa corporal (IMC) menor que 35 kg/m². As pessoas não podem: ter feito cirurgias no tornozelo, joelho ou quadril, nem realizado infiltração nos joelhos nos últimos seis meses; estar em tratamento fisioterapêutico nos últimos três meses e nem realizar atividade física regular (acima de 120 minutos por semana de atividade moderada à intensa).

Os interessados devem entrar em contato com a equipe de pesquisadores pelo e-mail osteoartriteufscar@gmail.com, pelo telefone (16) 3351-8345 (Laboratório) – das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas, de segunda a sexta-feira -, ou pelo WhatsApp (16) 99292-2072. Projetos aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 65966617.9.0000.5504 e 65685517.9.0000.5504).

Compartilhar