UFSM deve se tornar a primeira universidade com moradia para estudantes indígenas

UFSM deve se tornar a primeira universidade com moradia para estudantes indígenas

Melhores condições para a permanência dos estudantes e uma educação diferenciada, que respeite modos e costumes do povo indígena. Este foi o assunto da reunião realizada dia 26 de março, no Salão do Imembuí, no Prédio da Reitoria da Universidade Federal de Santa Maria. O reitor, Paulo Afonso Burmann e vice-reitor, Paulo Bayard Dias Gonçalves, e diversos pró-reitores reuniram-se para debater melhores condições para os estudantes indígenas com Caciques, estudantes, representantes do Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN) e da Fundação Nacional do Índio (FUNAI). No encontro foi entregue um documento ao reitor, com reivindicações dos estudantes, a principal delas, a construção de uma Casa do Estudante Indígena.

O projeto da casa começou a ser discutido conjuntamente com os estudantes e caciques indígenas em outubro de 2014, e agora, a UFSM está a poucos passos de se tornar a primeira instituição com uma moradia pensada para e com estudantes indígenas. O projeto da casa está praticamente finalizado e já foi aprovado pelas aldeias, segundo o pró-reitor adjunto de Infraestrura, Benoine Josué Poll, os apartamentos não diferem dos que hoje estão construídos, o diferencial é a disposição dos blocos, que conforme vão sendo construídos vão formar um círculo, conforme as exigências feitas pelos indígenas condizentes com seus costumes e cultura. A previsão inicial é para a construção de quatro prédios, com 16 apartamentos cada, comportando 128 moradores por bloco.

O próximo passo é a licitação para o inicio da obra, mas segundo Burmann o que torna difícil este processo é crise econômica que o País está vivendo e a indefinição do orçamento para as Instituições, “Tão logo recebamos os recursos, este projeto que foi constituído em conjunto, será encaminhado o processo de licitação e daremos inicio a obra”, destacou o Reitor. O prazo máximo para a entrega da obra é de dois anos contados do início dela.


Assessoria de Imprensa do Gabinete do Reitor UFSM

Compartilhar