UnB abre 1.220 vagas para licenciatura a distância

UnB abre 1.220 vagas para licenciatura a distância

No segundo semestre de 2019, a UnB deve receber 1.220 novos estudantes em oito cursos de licenciatura ofertados no sistema de Educação a Distância (EaD). As vagas, aprovadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), são para Artes Visuais, Educação Física, Física, Geografia, Letras – Português, Música, Pedagogia e Teatro.

Os 29 polos presenciais estarão distribuídos nos estados do Acre, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Tocantins e no Distrito Federal, com polos associados nos campi de Ceilândia (FCE), Gama (FGA) e Planaltina (FUP). A oferta de cursos de licenciatura se dá em atendimento à Política Nacional de Formação de Professores, que visa a ampliação da qualidade e do acesso à formação inicial e continuada de docentes.

Os cursos de graduação em licenciatura são ofertados de forma gratuita, da mesma forma que os cursos de graduação da modalidade presencial. A grade curricular e a carga horária também é a mesma para ambas as modalidades. Como descreve o professor Marcelo Ferreira, coordenador da Universidade Aberta do Brasil (UaB/UnB), até mesmo o diploma é emitido de forma idêntica. “O documento não traz indicação de que o curso se deu de forma EaD. É importante frisar, porque muitas pessoas não se inscrevem por receio de algum preconceito que ainda possa existir quanto ao formato”, esclarece.

Veja ao lado os cursos, quantidade de vagas e polos aprovados para 2019 na UnB/ UaB: 

MODALIDADE – Os cursos EaD contam com encontros presenciais nos polos, que variam de acordo com cada programa pedagógico: podem ser semanais, quinzenais ou até mensais. Já as avaliações são presenciais, por regra. Nos polos os estudantes encontram estrutura de apoio e tutores que auxiliam no processo. Em geral, os professores envolvidos são oriundos do próprio corpo docente da UnB e seguem o mesmo cronograma dos cursos presenciais.

O modelo de educação a distância adotado pela UnB contém diversos materiais desenvolvidos na plataforma virtual Aprender (com chats, tutoriais e fóruns), aulas por vídeo ou webconferência, além de encontros presenciais com docentes e saídas de campo.

Docente no modelo presencial há mais de duas décadas anos, o professor do Departamento de Física (FIS) Olavo Leopoldino leciona há quatro semestres no curso de Física EaD. Para ele, a dinâmica do curso se adequa bem à proposta. “No presencial é muito comum termos alunos autodidata, especialmente na parte teórica. É uma virtude que funciona muito bem no EaD. A plataforma Aprender permite lançar mão de muitas ferramentas”, comenta.

Os polos são mantidos por governos estaduais, prefeituras municipais ou universidades, como é o caso dos polos associados localizados nos campi da FCE, FGA e FUP. Eles têm estrutura com laboratórios e equipamentos, que podem ser usados para acompanhar os cursos. Ainda assim, o coordenador da Universidade Aberta do Brasil (UaB/UnB) Marcelo Ferreira destaca que o recomendável é que o graduando tenha acesso próprio a um computador com internet banda larga.

As licenciaturas duram, no mínimo, quatro anos, dado que o projeto pedagógico segue as mesmas diretrizes de carga horária mínima, extensão, estágios, previstas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). “Os cursos têm desenho sério e os mesmos pré-requisitos dos presenciais”, reforça Ferreira. Os estudantes da modalidade também têm acesso a carteirinha de estudante, direito de frequentar bibliotecas da UnB e Restaurante Universitário (RU). Podem até mesmo participar dos projetos de pesquisa e de extensão desenvolvidos na instituição.

 “Nosso público, em geral, é de estudantes não tradicionais, aqueles que saem Ensino Médio direto para a graduação”, descreve Ferreira. Boa parte trabalha e pertence a outra faixa etária. Essa é uma das razões de o candidato estar ciente de que o curso segue o mesmo grau de exigência dos presenciais. “Alguns entram achando que é um curso para se fazer no final de semana e essa não é a realidade”, reforça o coordenador.

FORMAÇÃO – “Percebemos que alguns estudantes da licenciatura em Física já são professores e ministram a disciplina, mesmo sem diploma na área. Alguns são da matemática e de outros sequer são de áreas de exatas”, diz o professor Leopoldino. Desta forma, os cursos atendem em cheio à proposta de formar docentes qualificados para atuar no ensino e atender às demandas de cada localidade, já que cada polo elege os cursos que almeja receber.

Assim, os professores formados na licenciatura EaD podem atuar nas regiões suprindo carências específicas, como é o caso de professores de física. Leopoldino conta que, pela natureza do curso, a cada turma que ingressa nas universidades, em geral, poucos concluem. “Por isso é importante a expansão de oferta para o EaD. Assim, aumentamos as chances de formar docentes na área”, explica.

VESTIBULAR – De acordo com o coordenador da UAB/UnB, o processo seletivo será realizado pelo Cebraspe entre os meses de janeiro e fevereiro de 2019. As provas serão aplicadas nas regiões em que os polos se encontram. Não haverá aplicação de prova de habilidade específicas.

As vagas remanescentes serão destinadas a outro processo seletivo, desta vez considerando as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), dos anos de 2014 a 2018. Esta será a primeira vez que todos os cursos serão ofertados juntos, em um mesmo vestibular.

UAB – Criada em 2005, a Universidade Aberta do Brasil é uma rede formada por instituições públicas que oferecem cursos de nível superior por meio da modalidade a distância. A UnB integra esse sistema desde 2007, ofertando cursos de licenciaturas e especializações para dezenas de municípios em todas as regiões do país.

Compartilhar