UnB – Reitor defende reivindicação salarial de técnico-administrativos

UnB – Reitor defende reivindicação salarial de técnico-administrativos

O reitor da Universidade de Brasília, professor Ivan Camargo, defendeu a valorização e a recomposição salarial para os servidores técnico-administrativos das instituições federais de ensino superior, durante a última reunião da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), realizada no início do mês.

“É inaceitável que o governo considere servidores de duas categorias. No mesmo momento, há concursos abertos com remuneração de R$ 8 mil para algumas instituições e, para o profissional com a mesma qualificação na Universidade, o salário é de R$ 2 mil”, disse.
Ivan Camargo reforçou o apoio à demanda salarial dos técnico-administrativos e ressaltou que as pautas já apreciadas pelos órgãos superiores da UnB ou relacionadas à legislação federal não serão objeto de revisão.

“A demanda salarial é absolutamente justa, tendo em vista esse desequilíbrio. Defendo isso em todos os fóruns que participo, em particular, na Andifes. Em relação a algumas pautas, no entanto, é importante esclarecer que a função da reitoria é cumprir as deliberações dos conselhos superiores. Por isso, a nova gestão do Hospital Universitário, por meio da Ebserh, a contratação dos serviços para o Restaurante Universitário e a flexibilização da carga horária de acordo com a lei, assim como a revalidação dos diplomas obtidos no exterior, estão sendo executadas de acordo com decisões tomadas nesses órgãos colegiados”, afirmou.

REFLEXOS – A greve dos servidores técnico-administrativos completa dois meses no próximo dia 28. A paralisação tem gerado prejuízos para a Universidade, entre eles atraso de alguns pagamentos e dificuldades para contratação e renovação de serviços terceirizados, como limpeza, conservação e copeiragem.

Ascom UnB

Compartilhar