Unicamp: 88,2% dos aprovados em medicina cursaram escola pública

Unicamp: 88,2% dos aprovados em medicina cursaram escola pública

No curso de medicina, 88,2% de alunos são da rede pública.

Ao todo, 1.714 estudantes da rede pública foram aprovados na Unicamp.

Do G1

A Unicamp divulgou nesta sexta-feira (12) a lista de aprovados no vestibular 2016. Neste ano a universidade atingiu 51,9% dos alunos aprovados oriundos de escolas públicas, ou 1.714. Este é o melhor resultado do programa social da Unicamp, no ano passado o número de alunos matriculados representou 30,2%. Dos aprovados em Medicina, 88,2% estudaram em escolas públicas. Em arquitetura e urbanismo, o percentual atingiu 86,7%. Comunicação social -midiologia, ciências biológicas e engenharia civil atingiram 70%, 60% e 62,5%, respectivamente.

Segundo o reitor da Unicamp, dentro dos 1.714 oriundos do ensino público, 43% deste grupo se declarou ser preto, pardo ou indígena. “Esta é uma inclusão social, o impacto é sensivelmente, principalmente nos cursos de alta demanda”, explicou o reitor José Tadeu Jorge.

Bônus

Os candidatos que cursaram integralmente o ensino médio em escolas da rede tiveram acréscimo de 60 pontos às notas da primeira fase. Além disso, há mais 20 pontos aos que se declararem pretos, pardos ou indígenas na inscrição e que tenham feito ensino médio em unidades públicas.

Na segunda fase, os candidatos oriundos de colégios da rede têm bônus de 90 pontos na prova de redação, além de outros 90 nas provas dissertativas. Já os autodeclarados pretos, pardos ou indígenas recebem acréscimo de mais 30 pontos em cada uma das avaliações. Em 2015, apenas quem passava para a segunda fase do vestibular tinha o bônus de 60 pontos para quem estudar em escolas públicas e 20 pontos para os que declaram ser PPI.

Esta equação foi desenvolvida após um estudo no programa de afirmação social da Unicamp. “Esta é uma decorrência natural, nos mudamos o bônus para 2016. O programa é ajustável e podemos definir ações para fazer adequações e assim atingir metas dentro de escolas publicas e PPI”, disse José Tadeu.

Cotas PPI

A Unicamp vai realizar estudos para aumentar a porcentagem de alunos auto declarados pretos, partos e indígenas, que segundo o reitor ainda está abaixo da meta. “Todos os cinco cursos mais concorridos extrapolaram a cota de 50% de alunos provenientes de escola pública”, disse o reitor que disse que ainda é preciso melhorar a meta de PPI, que está definida em 35% sobre o número de alunos de escolas públicas.

“As relações preto, pardo e indígena, quatro dos cinco atingiram a proporção do IBGE. Medicina 36,1%, midialogia 38,1%, engenharia civil 44%, ciências biológicas 33,3% e apenas arquitetura e urbanismo ficou 26,9% de PPI, mas este número ainda vai ser adequado”, disse o Jorge.

Permanência dos alunos

A Unicamp planeja a permanência destes alunos até o fim do curso. “Há bolsas auxílio alimentação e moradia. Esta seria a principal causa de evasão, mas esta ação é para o aluno que não pode se manter na universidade”, explicou o reitor.

“Sabemos que estes alunos têm um perfil social menos favorecido. Vamos acompanhar o estudante e assim impedir a evasão de qualquer causa e também a financeira”, disse Jorge que argumenta que a Unicamp tem o menor índice de evasão de alunos. “A evasão da Unicamp é a baixa do Brasil. Nos últimos três anos, chegamos a 7,5%”, explicou o reitor.

Não ao SISU

A Unicamp não vai fazer parte do SISU (Sistema informatizado do Ministério da Educação). “Com os resultados do nosso programa, não consideramos a hipótese. Nos próximos anos vamos aperfeiçoar a metodologia. No curto prazo não há a intenção de adesão ao SISU”, finalizou o reitor.

3,3 mil vagas

Em 2016 foram 3,3 mil vagas em 70 cursos de graduação, sendo que o número total de inscritos para as provas alcançou a marca de 77,7 mil.

Matrícula

Os aprovados devem efetivar a matrícula pela internet nos dias 13 ou 14 de fevereiro, por meio de formulário no portal da Comvest. Além disso, eles precisam fazer uma matrícula (presencial) no dia 18, e ainda confirmá-la (presencial) em 26 de fevereiro para garantir a vaga.

Calendário

A Comvest adiantou que a segunda lista de aprovados será divulgada na terça-feira (16) e, neste caso, os estudantes devem fazer a matrícula presencial no dia 18, quando será liberada a terceira lista. A matrícula presencial para os aprovados na terceira chamada será no dia 22.

De acordo com a Unicamp, os aprovados convocados nestas duas listas também precisam confirmar presencialmente as vagas dia 26, nos campi da instituição estadual.

 

Compartilhar