UNIFAP atende mulheres que tiveram câncer de mama

UNIFAP atende mulheres que tiveram câncer de mama

Um projeto de pesquisa do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Amapá (Unifap) tem ajudado a mudar a vida de mulheres que fizeram a cirurgia para retirada de células cancerígenas na região da mama. Através dele, desde 2017, mais de 40 mulheres receberam o tratamento de reabilitação terapêutica gratuitamente.

É o caso da aposentada Suzana Machado, que descobriu o câncer em 2012 e teve que ser submetida à retirada da mama e radioterapia. Mesmo com a cirurgia bem-sucedida, Suzana sentia muitas dores nos braços, o que a deixava com a mobilidade muita reduzida. Foi quando o médico que a acompanhava indicou o tratamento com o projeto da Unifap.

“Eu vim mesmo quando eu precisei ser atendida. Eu sempre tive relutância com fisioterapia. Eu disse: ‘eu preciso’ e elas disseram: ‘venha que nós vamos cuidar de você’ e foi maravilhoso”, conta Suzana.

Depois de cinco sessões do tratamento, as dores de Suzana foram diminuindo e os movimentos dos braços foram se tornaram mais expressivos, até que ela não percebeu mais as limitações que tinha antes. Para ela, o trabalho tem que chegar a mais mulheres que passaram por cirurgia e enfrentam dificuldades para receber atendimento na rede pública de saúde.

“Eu não levantava meu braço, então para mim é muito valioso. Para mim foi essencial. As pessoas precisam saber que aqui tem o curso de fisioterapia, que tem pessoas dispostas a ajudar”, diz a aposentada.

O projeto é coordenado pela professora Vânia Tiê e conta com a participação de duas alunas de mestrado e uma de graduação. Primeiro são feitas avaliações para identificar o grau de comprometimento dos movimentos da paciente e, a partir disso, é proposto um atendimento individualizado.

De acordo com Vânia Tiê, esse tipo de tratamento já é oferecido há mais tempo na região sudeste do país, porém, no Amapá, ainda não é muito frequente, mas o projeto tende a crescer e ampliar o número de mulheres atendidas.

“A universidade está se aproximando da comunidade para oferecer tratamento altamente especializado, que as pessoas só encontrariam fora do estado. É um atendimento gratuito para a população. Nós só precisamos que as pessoas venham e que se aproximem da universidade. Nós estamos prontos para atendê-las, não só nesse projeto, mas em vários que são desenvolvidos aqui”, enfatiza.

Pessoas interessadas no tratamento podem entrar em contato com o projeto pelos fones: (96) 991984558 e (96) 981232710.

Compartilhar