UNIFAP – Primeira etapa dos novos prédios do campus Binacional é entregue 

UNIFAP – Primeira etapa dos novos prédios do campus Binacional é entregue 

A paisagem do campus Binacional da Universidade Federal do Amapá (Unifap), no município de Oiapoque, modifica-se aos poucos com novos prédios sendo erguidos. Na última sexta-feira, 16, a administração da Instituição entregou o bloco A, primeiro de três blocos, à comunidade acadêmica. O prédio custou R$ 2 milhões e a verba é oriunda de emendas parlamentares do senador João Alberto Capiberibe (PSB/AP) e do deputado federal Marcos Reátegui (PSC/AP). Cada parlamentar destinou R$ 1 milhão para a construção do complexo.

O bloco recém-inaugurado é dividido entre salas de aulas, coordenações de cursos, laboratórios, banheiros e ambientes administrativos.  Ainda este ano terá inicio a construção dos blocos B e C, cada um com três pavimentos e compostos por salas de aulas, salas administrativas e laboratórios.  A prefeita do campus Marco Zero, Jennefer Lavour, explicou o projeto de ampliação e paisagismo do campus aos presentes e informou que parte dos R$ 6.401.106,77 previstos para o custeio da obra já está garantida.

A ordem de serviço foi entregue e os trabalhos terão início ainda este ano. A previsão de conclusão é de 18 meses.  Os blocos B e C terão 1.853,16m² cada um. Com o projeto concluído (prédios, urbanização e paisagismo), serão 5.700 m² de área construída. Juntos, os três prédios terão capacidade para comportar aproximadamente 2.700 alunos. Atualmente 1.000 acadêmicos, 100 professores e 40 técnicos convivem no campus Binacional de Oiapoque.

O senador João Alberto Capiberibe garantiu, em seu discurso, destinar mais R$ 3 milhões para os demais blocos. Capiberibe ressaltou a responsabilidade que a Universidade sempre teve com verbas públicas destinadas à Instituição. “Existem regras para a liberação dos recursos. Nem sempre o organismo que almeja o dinheiro consegue corresponder às exigências. Não é o caso da Unifap que tem uma grande capacidade de gestão dos recursos que nela são investidos. A seriedade da Universidade para com verbas públicas me deixa muito satisfeito”, afirmou.

O diretor do campus Binacional, Eduardo Margarit, avaliou que a inauguração do novo prédio e o ingresso de novas turmas comprovaram que é possível consolidar um campus em Oiapoque. “A Unifap causa transformações na cidade que, por vezes, não são tão visíveis, principalmente para aqueles que vêm de fora do estado. Nas transformações internas da sociedade é que percebemos a importância da Instituição”, afirmou o diretor.

Opinião compartilhada pelo pró-reitor de Cooperação e Relações Interinstitucionais, professor Paulo Correa. Para o pró-reitor, que na oportunidade estava representando a reitora Eliane Superti, o campus Binacional é peça fundamental na formação do capital humano no extremo Norte do Brasil, no desenvolvimento de pesquisas da riqueza natural e cultural da Amazônia. “O nosso campus no extremo Norte é um agente-chave na construção de uma boa relação entre o Amapá e a Guiana Francesa ou entre o Brasil e a França”, afirmou.

A acadêmica do segundo semestre do curso de direito, Solana Barros, disse que as melhorias no espaço físico do campus são fundamentais para o ganho na qualidade de estudo e bem-estar. “É um local onde teremos a oportunidade de expandir nossos conhecimentos e mudar o meio em que estamos inseridos através dos conhecimentos aqui adquiridos”, disse a estudante. Atualmente 14 obras estão em andamento em quatro campi da Universidade.

Ascom – Universidade Federal do Amapá

Compartilhar