UNILA chega aos sete anos comemorando avanços no processo de consolidação

UNILA chega aos sete anos comemorando avanços no processo de consolidação

Ao completar sete anos de criação, a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) vem cumprindo um importante papel na geração de conhecimento e compartilhamento cultural na fronteira mais movimentada do Brasil. Criada em 12 de janeiro de 2010, a UNILA trouxe para Foz do Iguaçu e região uma experiência única, a partir dos seus pilares: a interculturalidade, a interdisciplinaridade e o bilinguismo.

Em processo de consolidação, muitos avanços foram registrados no ano de 2016. A UNILA passou pela primeira vez pelo processo de recredenciamento institucional do Ministério da Educação (MEC) e obteve o conceito final 4 – o equivalente a “muito bom” dentro da escala que vai de 1 a 5. A visita ocorreu no mês de abril e o processo é necessário para confirmar a competência da Instituição no oferecimento de cursos de nível superior. O curso de Saúde Coletiva também foi avaliado no ano passado, com nota 4, seguindo o ritmo de excelentes avaliações que a Universidade vem recebendo – no total, 16 cursos foram reconhecidos, a maioria com nota 4; Ciências Econômicas – Economia, Integração e Desenvolvimento alcançou a nota máxima. A excelência de ensino também foi reconhecida pelo Guia do Estudante – principal publicação brasileira direcionada a estudantes de ensino médio – que outorgou estrelas a sete cursos da Universidade.

No caminho da pós-graduação, 2016 registrou a criação de três novos mestrados (Engenharia Civil, Biodiversidade Neotropical e Biociências) e implementação de seu primeiro doutorado (parceria com a PUC-Rio, na área de Relações Internacionais), importantes instrumentos para potencializar o desenvolvimento da pesquisa. Com isso, a Universidade conta agora com nove cursos de pós-graduação stricto sensu.

O início do ano letivo de 2016 foi um grande momento para a UNILA e para a cidade. Pepe Mujica, ex-presidente do Uruguai, lotou o auditório do Cineteatro dos Barrageiros para a aula inaugural da Universidade, falando sobre temas atuais e a responsabilidade dos estudantes no processo de construção de uma sociedade mais justa.

Infraestrutura

O ano começou também com um importante incremento de infraestrutura, passando a ocupar completamente a unidade Jardim Universitário que, dividida com a Uniamérica, era utilizada por três cursos. Há um ano, o complexo de 19 mil metros quadrados de área construída abriga 11 dos 29 cursos da instituição, atendendo integralmente os cursos do Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História (ILAACH) e parte dos cursos do Instituto Latino-Americano de Ciências da Vida e da Natureza (ILACVN).

A unidade tem capacidade de instalação de mais de 70 laboratórios e 44 salas de aula, além de espaços administrativos, biblioteca, salas de reuniões, salas de professores, almoxarifado e auditório com capacidade para 450 pessoas. “No início do ano, tínhamos uma perspectiva de orçamento de R$ 20 milhões para a aquisição do imóvel da Uniamérica. Porém, não foi viável porque os proprietários alegam estar cumprindo com suas obrigações financeiras junto à Fazenda Nacional”, diz o reitor Josué Modesto dos Passos Subrinho.

O valor destinado à aquisição do imóvel da Uniamérica foi transferido para a aquisição de equipamentos para pesquisa, novos laboratórios, ampliação da rede de dados, móveis, condicionadores de ar, materiais bibliográficos e aquisição de sistema de segurança para a biblioteca.

No final de 2016, foram assinados os contratos e ordens de serviço para a construção da primeira etapa do alojamento estudantil, com dois blocos que preveem acomodação para 192 universitários; e para as obras de proteção às estruturas já implantadas no novo campus. Os dois contratos totalizam mais de R$ 11 milhões. “Finalizamos o ano com todo o orçamento empenhado, e para isso foi necessária dedicação de várias equipes, que contribuíram para o redirecionamento de investimentos”, afirma Subrinho.

Institucionalização

Com as eleições realizadas em junho para a formação das comissões superiores da UNILA, foi iniciado o processo de configuração do Conselho Superior Universitário (CONSUN) de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases, que prevê representação de 70% de docentes e 30% divididos entre estudantes e técnico-administrativos. No total, estavam em disputa 124 vagas distribuídas nas três categorias. Nesse processo de institucionalização, o ILACVN foi o primeiro a instalar seu CONSUNI, seguido pelo ILAACH.

As mudanças têm como objetivo fortalecer a instituição, com a participação de representantes de todos os segmentos (discentes, docentes e servidores técnico-administrativos) nas tomadas de decisão da Universidade, que a cada ano vem incrementando o número de estudantes. Em 2016, a diversidade de países foi ampliada com a chegada dos primeiros alunos da Costa Rica, Cuba, Guatemala, Panamá e República Dominicana. Atualmente, a Instituição tem 2.722 alunos, sendo 1.740 brasileiros e 982 de outros 16 países da América Latina, Central e do Caribe. Essa diversidade cultural auxilia a UNILA a cumprir sua missão institucional de formar recursos humanos para toda a América Latina.

Compartilhar