UNILAB – Propae cria canal de acolhimento para estudantes mulheres e LGBTQIA+ vítimas de violência

UNILAB – Propae cria canal de acolhimento para estudantes mulheres e LGBTQIA+ vítimas de violência

A Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae) criou um novo canal para estudantes mulheres e LGBTQIA+ vítimas nesse período de pandemia, no qual tem sido agravado o índice de violência. Desde o dia 23 de junho, o canal de comunicação tem funcionado como um serviço de acolhimento psicossocial de caráter multiprofissional.

O atendimento é pelo WhatsApp. Para acioná-lo, basta contatar no 85 99688-6793.

“Trata-se de um espaço de escuta de saúde mental, com profissionais da Medicina e da Psicologia disponíveis para isso, como também um espaço de orientação dos profissionais do Serviço Social para os devidos e necessários possíveis encaminhamentos”, explica o pró-reitor da Propae, James Moura Jr.

O canal é fruto de uma articulação entre o Centro de Estudos Interdisciplinares de Gênero Dandara dos Palmares, o Grupo de Trabalho (GT) de Classe e Raça e o Comitê Institucional de Enfrentamento ao Covid-19 (CIEC), em resposta a demandas de estudantes da Unilab e denúncias de assédio.

 

Além da proteção interna aos estudantes, nos espaços institucionais da Unilab, a ideia é promover uma articulação com instâncias externas, que também poderão ser demandadas pela comunidade acadêmica.

Coordenação de Direitos Humanos

Considerando que “a política de permanência da Unilab é ampla, na perspectiva da assistência que envolve saúde física, saúde mental, direitos e inclusão, articulada em ações afirmativas”, será criada, neste mês de julho, a Coordenação de Direitos Humanos, antecipa o pró-reitor James Moura Jr, em articulação com a reitoria.

Ela será vinculada à Propae, como um espaço de acolhimento. O objetivo é fortalecer e ampliar a discussão a respeito das políticas de ações afirmativas da Unilab, com foco nos direitos humanos e na certeza de que todos têm direito a uma vida justa e sem violência.

Compartilhar