Univasf projeta parcerias com o setor produtivo

Univasf projeta parcerias com o setor produtivo

Apresentação da Reitoria para a Fiepe focou a prospecção de demandas. Encontro ocorreu em reunião-almoço mensal promovida pela entidade

Em palestra para representantes do setor produtivo local, ontem (9), na unidade regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), em Petrolina (PE), o reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Julianeli Tolentino de Lima debateu possíveis parcerias com o segmento industrial da região. Com o tema “A Univasf como mais uma ferramenta para alavancar o desenvolvimento do Vale do São Francisco”, a universidade também representada pelos pró-reitores Raimundo Cordeiro Neto (Planejamento e Desenvolvimento Institucional) e Helinando Pequeno de Oliveira (Pesquisa, Pós-graduação e Inovação) apresentou à Fiepe perspectivas de interação e integração com o ambiente acadêmico.

Entre as formas de parcerias discutidas com a Univasf, tiveram destaque a formação de profissionais qualificados para o mercado de trabalho, o desenvolvimento científico potencializado pelas ações de pesquisa e de inovação tecnológica e projetos desenvolvidos pela universidade que possam se alinhar aos eixos trabalhados pela Fiepe. Julianeli ressaltou o primeiro registro de patente obtido pela Univasf, conquista que para ele evidencia a capacidade da instituição. “O nosso objetivo é levar à população algo palpável, a prática, a partir do processo de formação dos nossos futuros profissionais”, observa o reitor.

Para Julianeli, as perspectivas de convergência com o segmento produtivo podem ser viabilizadas junto a setores estratégicos da universidade. “Nós temos convênios com instituições de ensino superior na Europa e Estados Unidos e hoje nós já estamos começando a trabalhar no sentido de conveniar com outras instituições em países da América Latina, Caribe e África, o que acho de grande importância nesse momento de efervescência da internacionalização das universidades”. Ele também focou o alcance das iniciativas propiciadas pela Educação a Distância (EAD), através de projetos de capacitação, além dos cursos ofertados no ensino presencial.

“Hoje temos 24 cursos de graduação e sete programas de pós-graduação stricto sensu, o quantitativo de grupos de pesquisa cadastrados e certificados pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) já passa de 100, e vocês podem verificar quais as áreas de interesse, sugerir propostas para nos integrarmos com esses projetos que possam contribuir com as atividades das empresas”, afirmou Julianeli.

Na visão das lideranças representadas pela Fiepe, presentes ao encontro, as universidades brasileiras precisam estimular a aproximação com o empresariado. “Precisamos dessa aproximação da academia com os meios de produção”, avalia o diretor-presidente da Sanvale, Rogério Ribeiro. Na opinião dele “a academia precisa sair da ‘ortodoxia para a ‘ortopraxia’, como expressão prática do conhecimento adquirido”. Rogério Ribeiro disse ser positiva a participação da Univasf, e considerou a necessidade de canais de diálogo para a identificação e recepção das respectivas demandas.

Segundo o diretor-superintendente da Niagro, Junichi Tani, as discussões sobre o tema possibilitaram ampliar o conhecimento sobre a Univasf. “Foi importante fazer esse contato, até mesmo para conhecer melhor a instituição”.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário de Petrolina, Jorge Assunção “a iniciativa de fomentar parcerias deverá fortalecer a interação entre as instituições. “Nós somos o elo entre essas entidades e vamos estar integrando essas necessidades e o que essas instituições têm para oferecer”.

A nova unidade da Fiepe – regional Sertão do São Francisco, instalada em Petrolina, há cerca de dez meses, alcança sete municípios. “Esta unidade foi criada no ano passado e nós estamos trazendo todos os meios para aglomerar mais o empresariado local com a Univasf e para conhecer um pouco mais a universidade”, ressaltou o diretor da unidade, Albânio Ferreira do Nascimento.

As propostas apresentadas convergiram para a criação de uma agenda comum. O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação da Univasf, Helinando Oliveira convidou a Fiepe para a sua inserção em colóquios promovidos pela pró-reitoria. O pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Raimundo Cordeiro Neto também pontuou áreas de interesse para prospecção de parcerias. “Um bom ponto de partida é verificar a diversidade de pesquisa que está sendo feita na universidade nesse momento”, opinou.

 

 

Klene Barreto de Aquino
Jornalista do Gabinete da Reitoria/Univasf

Compartilhar