UNIVASF promove série de lives sobre “Saúde Inclusiva”

UNIVASF promove série de lives sobre “Saúde Inclusiva”

O Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) dará início a uma série de lives sobre “Saúde Inclusiva”, que visa apresentar e discutir de maneira acessível informações sobre temáticas relacionadas à saúde. As lives irão tratar de temas como “Vitamina D: O que é?”, primeiro a ser abordado; “Alimentação e doenças autoimunes”; e “A importância do uso de probióticos” e contarão com a participação de especialistas convidados. A primeira edição será transmitida nesta sexta-feira (30), a partir das 17h, através do canal do NAI no YouTube.

A médica Satya Nahú, especialista em cardiologia e medicina integrativa e funcional, será a convidada da live de amanhã, que irá apresentar aspectos como a relação entre a vitamina D e a imunidade do corpo, a obtenção dessa substância para o organismo, além de outras dicas, orientações e informações relacionadas a essa vitamina. Durante a transmissão, haverá áudio descrição dos conteúdos abordados e tradução simultânea para Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A segunda edição da série “Saúde Inclusiva” será realizada no dia 5 de novembro, às 20h, e irá abordar a temática “Alimentação e doenças autoimunes”, com a presença da nutricionista Mônica Metzgerlang. No dia 13 novembro, será discutida “A importância do uso de probióticos”, também a partir das 20h, com participação da nutróloga Isadora Novais. Todas as transmissões acontecem pelo canal do NAI no YouTube e contam com instrumentos para a promoção da inclusão e acessibilidade das informações.

A coordenadora do NAI e responsável pela realização da série, Karla Daniele Maciel Luz, explica que a ideia de promover a série “Saúde Inclusiva” surge de uma preocupação com o acesso de pessoas com deficiência às informações sobre saúde, especialmente no atual momento de pandemia. “São informações que nem sempre, ou quase nunca, as pessoas com deficiência têm acesso. Esse projeto é de suma importância, pois está dentro do que regula a Lei Brasileira de Inclusão e parte da compreensão de que toda pessoa com deficiência deve ter acesso a tudo e que isso deve ser garantido”, conclui.

Compartilhar