Universidade Aberta do Brasil terá instituição de Moçambique

Universidade Aberta do Brasil terá instituição de Moçambique

A Universidade Pedagógica de Moçambique (UP) vai ser a primeira instituição estrangeira a fazer parte da Universidade Aberta do Brasil (UAB). As aulas devem começar ainda neste segundo semestre. Segundo o reitor da UP, Rogério Utui, os alunos para a primeira turma já estão sendo selecionados.

“O convênio já está assinado e pretendemos fazer o lançamento em novembro, quando o presidente Lula virá a Moçambique”, explicou.

Criada em 2006, a Universidade Aberta do Brasil é um sistema integrado por 81 universidades públicas, que oferece cursos de nível superior por meio da educação a distância. A prioridade é formar professores que atuam na educação básica. Atualmente, ela tem 559 polos, todos no Brasil.

“O ensino a distância ajuda a diminuir as assimetrias regionais. Temos a necessidade de garantir acesso para mais gente, no interior. E o Brasil já tem uma larga experiência nisso”, afirma o reitor Utui.

Em Moçambique, serão três polos, nas cidades de Maputo, Beira e Lichinga. Cada um vai atender 60 alunos, nas áreas de pedagogia, biologia e matemática.

Os diplomas serão moçambicanos, mas receberão a convalidação de instituições federais brasileiras. Professores da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Universidade Federal Fluminense (UFF), e Universidade Federal de Goiás irão trabalhar na implantação dos cursos. Um coordenador-residente virá da Universidade Federal de Mato Grosso.

Tão logo termine a seleção dos primeiros alunos, eles serão apresentados ao método e ao programa brasileiros de ensino a distância, para começar os estudos em seguida. Eles usarão a plataforma eletrônica da UAB, com manuais, livros e exercícios baseados na autoaprendizagem. A UP também tem material didático próprio, que começou a ser desenvolvido há dois anos, para formação e reciclagem de professores das escolas secundárias.

Moçambique expandiu o número de faculdades e universidades nos últimos anos. O país tem 38 instituições de ensino superior (eram 12 há apenas 6 anos), que atendem 75 mil universitários, o que corresponde a 1,9% da população. O índice é pequeno se comparado à média africana – de 5,4%.

A Universidade Pedagógica foi criada há 25 anos, para formar professores. Implantada em todas as 11 províncias (estados) do país, tem cerca de 40 mil alunos nos cursos de linguagem, comunicação e arte, ciências sociais, educação e psicologia, educação física e desporto, ciências naturais e matemática, Escola Superior Técnica e Escola Superior de Contabilidade e Gestão.

Compartilhar