Universidades Federais discutem inovação com empresas de petróleo e gás

Universidades Federais discutem inovação com empresas de petróleo e gás

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) participou no último dia 27, no Rio de Janeiro, de uma reunião proposta pela Associação Brasileira dos Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro) e pelo Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP). O objetivo do encontro foi compartilhar a visão das empresas e universidades e identificar oportunidades que viabilizem maior relação, no campo da inovação, entre o setor produtivo que integra a rede de serviços das petroleiras e as Universidades Federais.

O encontro mostrou um espaço natural de convergência entre o setor produtivo e as Universidades Federais e uma possibilidade de alargar a participação para outras instituições de ensino superior. A interação entre estes dois segmentos também visa melhores alternativas para utilização dos recursos destinados a pesquisa e desenvolvimento (P&D) na área de petróleo e gás.

“A experiência com esse segmento é importante no sentido de criarmos mecanismos mais favoráveis para interação entre Universidades Federais e o setor produtivo nas diversas áreas do conhecimento que buscam P&D, como energia, água, telecomunicações, meio ambiente e tantos outros”, disse o presidente da Andifes, Targino de Araújo.

Entre os encaminhamentos propostos estão a análise conjunta das normativas que regulam a relação entre estes atores, a realização de um evento para ampliar a participação de outras associações que tratam de petróleo o gás, bem como outras universidades e Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) que tenham interesse no tema.

Para o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Jesualdo Pereira, diálogo como este precisa ser mantido para que haja avanço na busca de soluções para alguns entraves. “Possuímos relação estruturada com estas empresas de gás e petróleo desde a década de 90. Sem dúvida só tivemos avanços, mas precisamos melhorar, principalmente na legislação. É preciso rever pontos como o que trata de propriedade intelectual, liberação de pesquisadores e regulação do uso dos recursos por parte da Agência Nacional de Petróleo (ANP)”, disse o reitor.

Carlos Alexandre Netto, reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), avaliou a reunião positiva e estratégica para avançar no sentido da utilização dos recursos previstos em lei na área de petróleo e gás. O reitor ressaltou ainda a importância das universidades para o setor, por serem produtoras de conhecimento, formadoras e capacitadoras de mão de obra, através dos seus cursos de graduação e pós-graduação.

Participaram da reunião junto com o presidente da Andifes e um conjunto de Universidades Federais que possuem forte interação com o setor de gás e petróleo. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Pará, a Universidade Federal do Ceará e a Universidade Federal de Minas Gerais.

Além de representantes da ABESPetro e do IBP estava presente representante da Organização Nacional da Indústria de Petróleo (ONIP). No próximo evento previsto todas as Universidades Federais serão convidadas a participarem.

Ascom Andifes

Compartilhar