Universidades Federais são habilitadas no programa Mais Cultura

Universidades Federais são habilitadas no programa Mais Cultura

Cinquenta e cinco Universidades Federais e dois CEFETs (MG e RJ) foram classificados no processo seletivo do programa Mais Cultura nas Universidades, uma parceria entre os Ministérios da Cultura (Minc) e da Educação (MEC). O programa foi lançado na Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), no final de 2013, e contou com a apoio da Comissão de Cultura constituída na Associação, e presidida pela reitora Soraya Smaili (Unifesp).

O Mais Cultura nas Universidades tem a finalidade de ampliar o papel das Universidades Federais e dos Institutos Federais na difusão e preservação da cultura brasileira e na construção e implementação das políticas culturais e para isso destinará R$ 20 milhões que serão aplicados em projetos com ênfase na inclusão social e no respeito e reconhecimento da diversidade cultural. Cada instituição contemplada receberá entre R$ 500 mil e R$ 1,5 milhão.

Nesta primeira edição, o programa recebeu adesão de todas as universidades federais e da quase totalidade dos institutos federais do país. A lista preliminar apresenta as instituições habilitadas e não habilitadas no processo de seleção. Os planos não habilitados são aqueles que não respeitaram o item 4.2 do edital, ou seja, constituíam mais de uma proposta. As notas dadas ao comitê técnico para os planos de cultura inscritos no edital serão enviadas aos endereços eletrônicos cadastrados de cada instituição proponente.

As instituições que tiveram seus planos de cultura inabilitados podem entrar com recurso até a próxima quarta-feira, 17, por meio de formulário específico, que deve ser enviado para o endereço eletrônico do programa. A lista com o resultado final do processo será publicada em 3 de julho.

Cada plano de cultura precisou contemplar e relacionar um ou mais dos seguintes eixos temáticos: educação básica; arte, comunicação, cultura das mídias e audiovisual; arte e cultura digitais; diversidade artístico-cultural; produção e difusão das artes e linguagens; economia criativa, empreendedorismo artístico e inovação cultural; arte e cultura: formação, pesquisa, extensão e inovação; memória, museus e patrimônio artístico-cultural. O desenvolvimento dos planos de cultura terá duração de 12 a 24 meses.

Acesse aqui a lista de instituições habilitadas

Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Cultura com informações Andifes

Compartilhar