USP propõe mudar ‘estatuto da ditadura’

USP propõe mudar ‘estatuto da ditadura’

A ideia de um novo documento, elaborado com a participação de alunos, funcionários e docentes, foi apresentada nessa quinta-feira, 31, aos grevistas

A Universidade de São Paulo (USP) vai reelaborar o estatuto da instituição na primeira quinzena de maio de 2014, com a ajuda da comunidade acadêmica – alunos, professores e funcionários. É o que determina uma nova proposta de negociação apresentada ontem pela reitoria da universidade aos grevistas. Mas os estudantes decidiram em assembleia nessa quinta-feira, 31, à noite manter a greve e a ocupação que já duram um mês.

Com o novo estatuto, serão redefinidas as regras da USP e até a forma de governo, se por reitoria ou governo tripartite, além da forma como se elegem os governantes – por eleições diretas ou indiretas.

O estatuto da universidade é de 1988, mas alguns itens que nele constam são de 1972, época da ditadura, como o regimento disciplinar. Uma das normas desse regimento permitiu a expulsão de seis alunos da universidade pela ocupação de salas da Coordenadoria de Assistência Social (Coseas) em 2010.

O novo estatuto seria definido em um congresso, com participação de professores, alunos e funcionários. As mudanças propostas no congresso serão encaminhadas, segundo a universidade, “às instâncias competentes” a partir do término do evento. Segundo o Diretório Central dos Estudantes (DCE), falta a universidade garantir que todos os funcionários terão dispensa do trabalho no dia do congresso. “Esse estatuto deverá ser criado de forma democrática, com todos”, afirmou a diretora do DCE e estudante do segundo ano de Letras, Luisa D’Ávola, de 25 anos. Em nota, a USP afirma que “recomendará a liberação dos congressistas das atividades de estudo e trabalho” durante o congresso.

Moradia. Na reunião dessa quinta, a universidade se comprometeu a transformar outros dois prédios, chamados de “K”e “L”, em moradia estudantil. A reitoria também se comprometeu a reajustar o valor das bolsas estudantis segundo índice de reajuste salarial acordado no Conselho de Reitores das Universidades Estaduais de São Paulo (Cruesp) e a debater a permanência da PM.

Um dos pontos polêmicos, segundo os estudantes, é a negociação para que nenhum aluno que tenha aderido à greve seja punido. “A universidade ainda não assegurou que não haverá punições”, afirmou o diretor do DCE e aluno de Ciências Sociais, Pedro Serrano, de 22 anos.

 

Bárbara Ferreira Santos – O Estado de S.Paulo

 

 

Causes and Cure of Dandruff
watch game of thrones online free most significant western side in addition to historical motel rancho cucamonga

Antonio Marras eye candy at Milan Fashion Week
free games online fashion accessory honest heartfelt do refining mineral facial foundation testimonial

Victoria Beckham Takes Baby Harper to NYC Fashion Week
cheap prom dresses Too often in fashion

Ann Changed Her Weight And Her Way Of Life
cheapest flights Clothing in the 1850s

Food Meal for Your Family Quickly and Easily
games BKE is a retailer of medium to better priced casual apparel

What Does The Seller Do
kleider No matter where you live

Kept Clothes and Fashion Shop Secrets
ballkleider hiphop manner

Sexy Hair Trends Stylish Hair Care Tips For The X Factor Look
games Health and Fitness magazine

Compartilhar