USP terá orçamento de R$ 5,2 bi em 2016 e buscará doações de ex-alunos

USP terá orçamento de R$ 5,2 bi em 2016 e buscará doações de ex-alunos

Orçamento foi aprovado pelo Conselho Universitário nesta terça. CO criou programa para definir regras de doações lícitas de ex-alunos.

O Conselho Universitário (CO) da Universidade de São Paulo (USP) aprovou, na tarde desta terça-feira (8), o orçamentárias para 2016. Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa da Reitoria, os conselheiros aprovaram as diretrizes definidas em novembro, e o orçamento da instituição para o ano que vem será de R$ 5,25 bilhões.

Destes, R$ 4,8 bilhões serão reservados para a folha de pagamento dos funcionários e professores da universidade, o que corresponde a 97,4% do total.

Na reunião, o conselho também aprovou a criação do programa Parceiros da USP, que tem como objetivo criar estratégias e regras para que ex-alunos formados na instituição possam doar recursos à universidade, “no intuito de viabilizar a entrada lícita de recursos nos cofres universitários”, segundo a nota da Reitoria.

De acordo com a USP, as políticas de permanência estudantil foram “priorizadas” e, por isso, o CO aprovou aumentar em 4,6% a verba dessa área, para R$ 209 milhões. Os gastos de permanência incluem bolsas de alimentação, transporte e assistência médica, residência estudantil e estágios, entre outros.

Reafirmando estimativas divulgadas na reunião anterior, realizada em 10 de novembro, o conselho prevê registrar déficit durante o ano que vem de R$ 543 milhões. O saldo de reservas foi estimado em R$ 794 milhões ao final de 2016.

Déficit em 2015

As diretrizes aprovadas em novembro mostravam que o déficit da USP para 2015 ficou 17% acima da previsão estipulada no fim do ano passado. Segundo a previsão, até o fim do ano a universidade terá gasto R$ 988 milhões a mais do que a arrecadação estimada. A meta, de acordo com as diretrizes aprovadas em novembro de 2014, era de déficit de R$ 845.

Para 2015, as diretrizes preveem que o saldo de reservas seja de R$ 1,2 bilhão até o fim do ano. Porém, a previsão inicial era de que a universidade fechasse o ano com reservas de apenas R$ 880 milhões.

O déficit previsto para 2015 se aproxima do registrado em 2014, que ficou em R$ 1 bilhão. No mesmo período, porém, o saldo das reservas da USP era estimado em R$ 1,7 bilhão. Segundo a USP, o plano plurianual orçamentário continua tendo como meta zerar o déficit (ou seja, arrecadar mais do que gasta) até 2018.

De acordo com a nota, a estimativa de despesas da USP com a folha de pagamento deve fechar o ano em R$ 4,6 bilhões, o que representa um comprometimento de 101,26% do orçamento anual.

No ano passado, a proposta de congelamento salarial feita com o objetivo de conter a extrapolação do orçamento – o gasto com pessoal chegou a 105% da folha – levou a uma greve história de professores, funcionários e estudantes, que durou quase quatro meses.

Neste ano, o Conselho dos Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) ofereceu um reajuste salarial de 7,21% aos servidores da USP, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

G1

Compartilhar