Veja mudanças aprovadas do PNE na Câmara e no Senado

Veja mudanças aprovadas do PNE na Câmara e no Senado

Há três anos tramitando no Congresso, o Plano Nacional de Educação (PL 8.035/2010 – PNE) pode ser votado no plenário da Câmara no próximo mês de março. A promessa é da Comissão Especial que analisa o projeto, mas há muito que se discutir devido às mudanças de mérito feitas no Senado. O PNE define metas e diretrizes para educação nos próximos 10 anos, entre elas a erradicação do analfabetismo, o oferecimento de educação em tempo integral e o aumento das vagas no ensino técnico e na educação superior.

Um dos principais pontos de diferença é sobre aplicação de verbas. No texto da Câmara fala-se em investimento em educação pública, já no Senado é definido investimento público em educação. A diferença é que a redação do Senado (artigo 5º) não restringe os gastos ao setor público, podendo os 10% do Produto Interno Bruto (PIB) serem aplicados em programas de financiamento de educação privada.

ENSINO SUPERIOR

Algumas outras mudanças são de interesse direto das Universidades Federais como a meta 12, que estabelece que 40% das novas matrículas sejam feitas em ensino superior público. O Senado havia retirado esse dispositivo, mas a Câmara quer que o segmento público assegure a elevação da taxa com qualidade e oferta de expansão. Ainda na meta 12, o texto do Senado quer garantia de assistência estudantil para alunos do ensino superior beneficiados com Fundo de Financiamento Estudantil (FIES).

Outra meta que interessa as Universidades Federais foi a 21, criada no Senado e que trata de ciência e tecnologia. A proposta dos senadores é aumentar a produção científica brasileira de nível internacional para que o País figure no grupo dos dez maiores produtores de conhecimentos novos no mundo, com ênfase na pesquisa, desenvolvimento e estímulo à inovação, bem como atingir a proporção de quatro doutores por mil habitantes, considerando a população na faixa etária adequada.

No projeto da Câmara eram estabelecidas apenas 20 metas, e o assunto ciência e tecnologia é tratado na meta 14 apenas com objetivo de consolidar programas e projetos de internacionalização e promover intercâmbio científico e tecnológico, nacional e internacional, entre as instituições de ensino, pesquisa e extensão.

Sobre a aplicação dos recursos oriundos da extração de riquezas minerais, os dois projetos também apresentam diferenças. No texto da Câmara fala-se em destinar, precisamente,  50%  dos recursos do pré-sal, incluídos os royalties, diretamente em educação. A redação do Senado garante que será destinada à manutenção e desenvolvimento do ensino, em acréscimo aos recursos vinculados nos termos do art. 212 da Constituição Federal, além de outros recursos previstos em lei, a parcela da participação no resultado ou da compensação financeira pela exploração de petróleo e gás natural.

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes) disponibiliza aqui todo o estudo comparativo. Nele estão destacadas as mudanças de mérito em relação ao texto da Câmara, as inovações em relação ao texto da Câmara e as alterações de redação.

5 million appreciation on a 1 million house
watch game of thrones online free Our tax rate for the quarter was 40

The Men’s Wearhouse Management Discusses Q1 2012 Results
free games online By the late 1960s

What to Wear in Paris During Winter
cheapest flights The Lionheart came to PDJB’s tiny land to suppress a minor revolt

The Remarkable Buildings of China
onlinegames with criminals receiving green

The 6 Most Epic Escapes Across Hostile Territory
jeux cutting and styling

What Kind of Education Is Required for a Fashion Assistant
kleider corduroy and satin polyester

All Types Of Ties To Choose From
ballkleider by which I mean to pay it a huge compliment

Sneak Peek and spoilers 12
cool math The lantern skirt solid color pleated dress

Compartilhar