Fórum de Reitores debate desafios e financiamento das Universidades

Fórum de Reitores debate desafios e financiamento das Universidades

Espaço permanente de debates, reflexões e ações com vistas ao fortalecimento das Instituições Federais de Ensino, o Fórum de Reitores das Instituições Federais de Ensino da Região Norte chega à oitava edição. A cerimônia de abertura foi realizada na manhã desta terça-feira, 14, no Gabinete da Reitoria da Ufam.

Durante a abertura do evento, o reitor da Ufam e anfitrião do evento, professor Sylvio Puga, destacou que a Ufam sediar do Fórum de Reitores da Região Norte é motivo de muita satisfação. “Nada é mais oportuno do que nos reunirmos e discutirmos as questões nacionais e, particularmente, as questões amazônicas. Quero agradecer a escolha da Ufam para sediar este importante evento. Estamos sempre à disposição para que tenhamos o melhor Fórum possível”, disse o reitor anfitrião.

O vice-reitor, professor Jacob Cohen, ressaltou que os assuntos discutidos durante o Fórum objetivam colocar a Região Norte no caminho do desenvolvimento sustentável. “Enquanto amazônidas, que possamos debater um pouco os grandes problemas que nos afligem. Discutimos aqui de que maneira poderemos colocar a Amazônia e a Região Norte na direção do desenvolvimento sustentável para que o ser humano seja realmente respeitado. Sabemos que, para isso, o papel da Universidade é indispensável”, destacou o vice-reitor.

O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), professor Emmanuel Zagury Tourinho, ressaltou que o Fórum é um espaço de planejamento para novas conquistas. “Quero parabenizar o Fórum, que tem feito um trabalho muito importante. Essas reuniões orientam para que consigamos vencer o quadro de assimetrias em que se encontra na Educação Superior em nosso país. Que tenhamos mais avanços, a partir das propostas apresentadas neste encontro”, disse ele.

O presidente do Fórum de Reitores das Instituições Federais de Ensino da Região Norte e da regional Norte da ANDIFES, professor Jefferson Fernandes do Nascimento, destacou que, a cada edição, o Fórum se fortalece como espaço de articulação em benefício da Educação Superior. “A cada edição, nosso Fórum se consolida como espaço de diálogo e, principalmente, de articulação da Região Amazônica em favor da ciência, da Educação Superior. Que a Região Norte possa se unir para mais conquistas”, declarou ele.

Desafios da Pós-Graduação na Região Norte

Após os discursos, teve início a Mesa Redonda “Desafios da Pós-graduação na Região Norte”, a qual foi mediada pela professora Eliane Superti, da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). A programação contou com apresentações do presidente substituto da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), professor Geraldo Nunes Sobrinho, e do professor Renato Francês, da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESPA).

Durante sua explanação, o professor Geraldo Nunes Sobrinho fez uma avaliação positiva do diálogo entre a Capes e o Fórum de Reitores da Região Norte. “A Capes diz presente, aliás, sempre esteve e sempre estará presente. Temos construído agendas conjuntas e obtido resultados concretos como, por exemplo, a equalização de bolsas de doutorado para a Região Norte, que estavam em número diferenciado em relação ao restante do Brasil e também propostas concretas de cursos de pós-graduação em rede, nas áreas de Educação e Saúde. Essa ação do Fórum junto com a Capes pode provocar uma profunda modificação na maneira como vemos a construção da pós-graduação em regiões consideradas menos favorecidas”, ressaltou.

Já o professor Renato Francês, da UNIFESPA, apresentou os resultados da Carta de Rio Branco. No documento, elaborado no Fórum anterior, em agosto de 2016, constam solicitações como a revisão de regras para doutorados e mestrados interinstitucionais; a revisão de regras dos Aplicativos de Propostas de Cursos Novos e Programas Nacionais de Cooperação Acadêmica (PROCAD) específicos para a Amazônia. “Precisamos combater as assimetrias que foram construídas ao longo da História em nosso país e só atuando coletivamente, conseguiremos impedir que elas se perpetuem”, observou ele.
Os pronunciamentos dos demais participantes do Fórum foram acerca da utilização novas metodologias para promover melhor articulação dos reitores da Região Norte; uma nova política para a pós-graduação e críticas ao sistema avaliativo da Capes.

Rede Norte de Repositórios Institucionais

Professora Célia Simonetti Barbalho apresentou a Rede Norte de Repositórios Institucionais aos participantes do FórumProfessora Célia Simonetti Barbalho apresentou a Rede Norte de Repositórios Institucionais aos participantes do FórumApós a Mesa Redonda, houve a palestra da professora Célia Simonetti Barbalho, que apresentou a Rede Norte de Repositórios Institucionais aos participantes do Fórum.A melhor gestão da produção científica; o maior acesso à informação científica e o aumento da média de citações foram apontados pela palestrante como algumas das utilidades de um Repositório Institucional. “A Rede Norte de Repositórios Institucionais é pioneira no Brasil. Foi lançada em 2016 durante o XIX Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, realizado em Manaus. O projeto foi desenvolvido pelo Centro de Tecnologia da Informação da Ufam (CTIC/UFAM) e está alojado no Data Center da Universidade. Agora temos como principais desafios a ampliação da visibilidade institucional da Rede, por meio da interlocução com o Fórum de Reitores da Região Norte; a formalização da Rede, por meio da composição das normas para seu funcionamento e a indução da criação de novos repositórios nas instituições de ensino e pesquisa da Região Norte. Não é um sonho; é algo concreto baseado na experiência bem-sucedida da Universidade do Minho, em Portugal. Aproveito para compartilhar uma curiosidade com os senhores: os pesquisadores que mais consultam o nosso Repositório são estrangeiros dos Estados Unidos e do Japão. Então para formalizar a Rede, contamos com todos os Reitores da Região Norte”, ressaltou a palestrante.

Fórum obtém maior apoio à pós-graduação para as IFES. Fórum obtém maior apoio à pós-graduação para as IFES. Durante a tarde, os reitores discutiram, entre outros temas, sobre o orçamento a ser repassado para as instituições para o próximo ano. Um dos pontos abordados foi o aumento no repasse às universidades da Região Norte por meio da Capes em resposta à demanda apresentada pelo Fórum, na qual se reivindicava tratamento diferenciado para a Região em razão de suas especificidades. “Isso mostra que o Fórum tem uma importância de articulação política para incentivar, induzir decisões que possam trazer benefícios para a região e para as instituições dela”, afirmou o presidente do Fórum de Reitores.

A proposta trabalha com o financiamento induzido, especifico para região e para as instituições ligadas ao Fórum, via edital, com financiamento para 2018 e 2019. “Cada instituição terá benefícios na medida em que participará de três grandes programas de pós-graduação em rede nas áreas de ciências da saúde, ciências ambientais e engenharias”, adiantou.

“Isso para nós foi muito positivo. Resultado concreto do Fórum na medida em que a Capes demonstra sensibilidade às demandas apresentadas das universidades amazônicas que têm realidades específicas. Penso que o Fórum, enquanto porta voz das demandas e anseios das universidades da Região Norte, está cumprindo o seu papel”, declarou o reitor da Ufam, professor Sylvio Puga.

Na avaliação do presidente da Andifes, professor Emmanuel Zagury Tourinho, a edição de 2017 do Fórum de Reitores foi bastante proveitosa na busca por propostas de melhorias para as instituições integrantes. “Penso que tivemos uma reunião bastante produtiva com muitos encaminhamentos que no médio e longo prazo trarão muitos resultados positivos para a nossas instituições. Conseguimos aqui já um resultado muito bom em ternos políticas da Capes para o avanço do apoio financeiro aos programas de pós-graduação da região e definimos como um ponto prioritário para o trabalho ao longo do próximo ano a negociação continuada com a Capes, agora, tratando mais especificamente da avaliação das propostas de cursos novos para que tenhamos condições de expandir o sistema mais rapidamente”, expôs o reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA) ao agradecer a recepção da UFAM. “Fomos muito bem acolhidos aqui e isso favoreceu para que tivéssemos um ambiente muito propicio a esse dialogo produtivo”, comentou.

Similaridades aproximam UFMA da Região Norte, segundo reitora.Similaridades aproximam UFMA da Região Norte, segundo reitora.A VIII Reunião do Fórum de Reitores das Instituições Federais de Ensino Superior da Região Norte contou com a participação da reitora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), professora Nair Portela Silva Coutinho. De acordo com a gestora, a proximidade de interesses e realidades tornou importante a presença da instituição no encontro sediado na Ufam. “O estado do Maranhão possui muitas similaridades com o Norte. E nós fazemos parte de muitos projetos, em nível nacional, da Amazônia Legal. Outro ponto é a importância da aproximação e da identificação com os problemas regionais, como água, desmatamento, produção de alimentos, a formação de profissionais entre outros. Então, foi com essa condição de muita proximidade que começamos a discutir e vimos que seria importante essa integração”, revelou a reitora.

À tarde também houve a eleição para a presidência e vice-presidência do Fórum, o professor Jefferson Fernandes do Nascimento foi reconduzido ao cargo, enquanto o professor Marcel do Nascimento Botelho foi eleito vice-presidente do órgão.

Compartilhar