Home Universidades Federais UFCA participa de rede interinstitucional para desenvolvimento de cidades inteligentes

UFCA participa de rede interinstitucional para desenvolvimento de cidades inteligentes

0
0

Pesquisadores da Universidade Federal do Cariri (UFCA) vêm coordenando a interiorização da Rede de Inteligência Artificial do Nordeste (Iane): uma iniciativa interinstitucional que se propõe a oferecer soluções para problemas complexos na indústria e nos governos de cidades nordestinas, por meio da Inteligência Artificial (IA). Segundo o estatuto da rede, o objetivo da Iane é “pesquisar, desenvolver e inovar em IA, para transformar problemas complexos em soluções eficazes e úteis para uma sociedade melhor”.

A Rede Iane é um polo regional da Rede Nacional de Inteligência Artificial Recriando Ambientes (Iara), composta por governos, instituições privadas e por cerca de 20 universidades do Brasil e do exterior – com sede no campus São Carlos da Universidade de São Paulo (USP). Coordenada por André Carvalho, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP-São Carlos, a Rede Iara nasceu em 2020 com o objetivo de transformar cidades brasileiras em Smart Cities: espaços que utilizam tecnologias como Inteligência Artificial e Internet das Coisas para gerar eficiência nas operações urbanas, mantendo o desenvolvimento econômico ao mesmo tempo em que melhoram a qualidade de vida da população.

A Rede Iara foi uma das seis iniciativas contempladas por um edital de chamada de propostas para a constituição de Centros de Pesquisas Aplicadas (CPAs) em Inteligência Artificial, com foco nas áreas de saúde, agricultura, indústria e cidades inteligentes. O resultado da chamada – promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC), pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) – foi divulgado no início deste mês de maio. As propostas contempladas vão receber, anualmente, R$ 1 milhão, por um período de até dez anos. As empresas parceiras das iniciativas vão contribuir, cada uma, com o mesmo valor, totalizando uma verba de R$ 20 milhões por Centro.

“Especificamente sobre a contribuição da UFCA à proposta Iara, municiamos o Prof André Carvalho com cartas de manifestação de interesse de diversas instituições do Ceará e do exterior, permitindo aumentar o lastro da proposta”, explica o professor Paulo Renato Firmino, do Centro de Ciências e Tecnologia da UFCA (CCT/UFCA). De acordo com o professor da instituição caririense, os movimentos em prol da Iane foram retomados com a aprovação da Iara na chamada MCTIT/Fapesp, o que também deu impulso aos trabalhos de interiorização da iniciativa, encabeçados pela UFCA: “Essa coordenação buscará identificar, capacitar, popularizar, apoiar e integrar polos de pesquisa e de aplicação de IA no interior do Nordeste do Brasil. Acreditamos que as redes Iara e Iane confluirão e que muitos dos planos traçados pela Iane serão incorporados à Iara”, diz Paulo Renato.

Juazeiro do Norte como cidade laboratório
O CPA Iara pretende implementar, analisar e validar soluções em cidades dispostas a serem laboratórios abertos para soluções em IA. O ponto de partida para as ações do centro é a cidade de Canaã dos Carajás: um município localizado na região sudeste do Pará, com a maior província de mineração de ferro do mundo. Um convênio foi firmado entre a prefeitura da cidade, a Universidade Federal do Pará (UFPA) e pesquisadores da USP, para implementar no município uma infraestrutura tecnológica de cidade inteligente, utilizando para isso R$ 6,2 milhões, vindos do Fundo Municipal de Desenvolvimento Sustentável.

Outras cidades brasileiras, entre elas Juazeiro do Norte (CE), estão cooperando com o CPA Iara, no sentido de também receberem futuramente infraestrutura de IA para solução de problemas no município. Além da cidade caririense, compõem a rede de cooperação Fortaleza (CE), Juazeiro (BA), Monteiro Lobato (SP), Niterói (RJ), Recife (PE), São Carlos (SP), São José dos Campos (SP) e Sorocaba (SP).

“Juazeiro do Norte vem despontando com uma visão privilegiada em relação à IA, fazendo parte de um grupo seleto de municípios com legislação específica para cidades inteligentes. As ferramentas de IA poderão contribuir para o desenvolvimento sustentável do município e, [a partir daí], irradiar [desenvolvimento sustentável] para todo o Cariri, por meio de soluções voltadas à otimização do uso de recursos e ao combate a desperdícios das mais diversas naturezas”, defende professor Paulo.

Como exemplos possíveis de benefícios que a IA pode proporcionar, o docente cita a otimização do tráfego (o que reduziria o consumo de combustíveis e o tempo de deslocamento de veículos), a redução de perdas em estoques na indústria e no comércio (por meio do fomento à produção sob demanda), a implementação de sistemas integrados de informação para a gestão eficiente da saúde, o aprimoramento da gestão ambiental (por meio da captura e análise de dados de sensoriamento remoto) e o impulsionamento de startups (empresas iniciantes que buscam inovar determinado modelo de negócio ou criar novos modelos/produtos).

IA e Internet das Coisas
“Internet das Coisas” é um conceito que tem se popularizado nos últimos anos, principalmente pelo aumento da inclusão digital e da oferta de equipamentos para viabilizá-la. O termo se refere à interconexão digital de objetos físicos, que se tornam capazes de reunir e de transmitir dados. Isso possibilita, por exemplo, que esses objetos sejam controlados remotamente, que otimizem o próprio funcionamento a partir da análise de padrões de uso e que facilitem o acesso de humanos a informações úteis.

Já a Inteligência Artificial (IA) é um campo da Ciência da Computação que busca desenvolver em máquinas a capacidade de realizar tarefas humanas, como aprender. Com isso, as máquinas passam a ser capazes de executar funções mais sofisticadas que as esperadas para um objeto, como decidir e identificar melhores soluções no seu contexto de uso.

“Uma das matérias primas da IA são dados. Quanto maior a quantidade de dados confiáveis, melhores serão as previsões e os diagnósticos dos modelos matemáticos, levando a melhores processos de decisão e ações. Por sua vez, o desenvolvimento da IA requer profissionais e pesquisadores com base sólida em disciplinas informáticas e matemáticas. Nesse sentido, o Brasil se encontra parcialmente bem posicionado em relação ao restante do mundo. Possuímos diversos cursos de graduação, mestrado e doutorado, que oferecem um número de vagas razoável e que entregam à sociedade profissionais bem qualificados. Contudo, há ainda o problema da evasão nesses cursos. Ao nosso favor, destaco a Era da Informação vigente, em que os novos ingressantes desses cursos já encontram-se inseridos no mudo digital. Destaco ainda a própria pandemia, que tem demandando esse perfil mais tecnológico das pessoas em geral, o que favorece o interesse dos jovens por esse tipo de formação”, pontua Paulo Renato.

A UFCA oferece atualmente os cursos de graduação em Ciência da Computação e em Matemática Computacional. Acesse a lista completa dos cursos de graduação oferecidos pela instituição.

*Com informações da Fapesp e do Jornal da USP

Serviço
Rede Iane
contato@ia-ne.org

Rede Iara
iara-smartcities@icmc.usp.br

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe uma resposta

Vejam também

UFSB recebe autorização definitiva do curso de Direito

O Ministério da Educação (MEC), por meio da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educaç…