Home Universidades Federais UFG inaugura Hub de Inovação e Tecnologia em colaboração com a Merck

UFG inaugura Hub de Inovação e Tecnologia em colaboração com a Merck

0
0

O Innovation Hub in Point of Care Technologies (Poct Hub) fará parte do CMBiotecs e terá foco em soluções para testes rápidos e diagnósticos

Goiânia, 10 de setembro, 2021 – Com o objetivo de implementar um centro de prototipagem e treinamento para testes diagnósticos rápidos no recém-inaugurado Centro Multiusuário de Pesquisa de Bioinsumos e Tecnologias em Saúde (CMBiotecs), a Universidade Federal de Goiás (UFG), por meio do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPSTP), e a Merck – líder em ciência e tecnologia – inauguram o Centro de Inovação em Tecnologia, que será o primeiro no Brasil a concentrar técnicas de biologia molecular, biossensores eletroquímicos e testes rápidos por imunocromatografia de fluxo lateral em um mesmo local.

A aliança estratégica firmada com a Merck ajudará na ampliação das fases de Pesquisa e Desenvolvimento para identificação do ciclo de vida das tecnologias dedicadas à execução de testes diagnósticos rápidos, também conhecidos como Point of Care (Poct), não apenas em saúde como também em necessidades da agricultura e pecuária. A Merck investirá recursos financeiros, além de contribuir com expertise técnico-científica para desenvolvimento profissional e projetos do Centro de Inovação em Tecnologia.

“Essa colaboração com a Merck nos deixou muito felizes porque contribuirá para a consolidação de um grupo de excelência técnico-científica em testes rápidos, servindo como ponte entre a academia e empresas dessa área. O projeto visa o fortalecimento da capacidade produtiva da indústria e sua independência tecnológica, por meio da geração de mão de obra especializada e de testes rápidos de interesse do mercado, contribuindo, assim, no controle das doenças endêmicas e questões relacionadas à saúde humana no Brasil. Futuramente, passaremos a aceitar projetos de prototipagem e amostras de validação de universidades e empresas situadas em outros países da América Latina – em breve, também estendido para saúde animal e agricultura. Além disso, esperamos a atração de jovens empreendedores cientistas que têm interesse em desenvolver startups nessa área”, explica a coordenadora do projeto e pesquisadora de Imunologia Aplicada no IPTSP UFG, Samira Buhrer.

Dois laboratórios do Instituto de Química (IQ) da UFG participam desse projeto, complementando as principais tecnologias diagnósticas disponíveis de testes diagnósticos rápidos. O Instituto conta com uma Central Analítica, que oferece acesso da comunidade a todas as técnicas instrumentais básicas (espectroscopia de infravermelho, análise elementar, absorção atômica, cromatografia em fase líquida) e avançadas (técnicas termo analíticas e microscópicas – microscopia de força atômica e microscopia eletrônica de varredura).

“Esta iniciativa com a UFG nos permite avançar em nossa missão: colaborar com a comunidade científica para solucionar desafios complexos em Life Science. É motivo de orgulho poder acelerar a pesquisa diagnóstica no Brasil e, futuramente na América Latina, tão fundamental para superar os desafios em ciência, que ficaram ainda mais evidentes com a pandemia. A expertise global da Merck, que investe em inovação há mais de 350 anos, ajudará a capacitar pesquisadores e, em última instância, beneficiar a sociedade como um todo”, conta o diretor Comercial de Research da Merck Brasil, Fabio Demetrio.

Sobre Centro Multiusuário de Pesquisa de Bioinsumos e Tecnologias em Saúde (CMBiotecs)
O CMBiotecs conta com diversos equipamentos e viabiliza a captação de projetos em parcerias com diversas instituições e empresas em bioinsumos, como a produção de reagentes, enzimas, meios de cultura, kits diagnósticos – especialmente nas doenças infecciosas e parasitárias e nas atividades de Tecnologias em Saúde –, e, ainda, abrange os cursos de graduação e de pós-graduação do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP) da UFG, com atividades de Laboratório, Bioinformática, Bioquímica, Biologia Molecular, Vacinas, Biotecnologia. De forma bem definida na Saúde Coletiva e DIPs (Doenças Infecciosas e Parasitárias), essa área ajudará na avaliação de impactos e estratégias em saúde e já recebeu o investimento de R$ 2.494.621,35 da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e R$ 705.583,75 da UFG.

Sobre a Merck
A Merck é uma empresa líder em ciência e tecnologia em Saúde, Life Science e Electronics. Cerca de 58.000 colaboradores trabalham para fazer uma diferença positiva na vida de milhões de pessoas todos os dias, criando maneiras de viver mais qualitativas e sustentáveis. Desde o avanço das tecnologias de edição de genes e a descoberta de maneiras únicas de tratar as doenças mais desafiadoras até a viabilização do uso da inteligência dos dispositivos, a Merck está presente. Em 2020, a Merck gerou vendas de € 17,5 bilhões em 66 países.

A exploração científica e o empreendedorismo responsável foram essenciais para os avanços tecnológicos e científicos da Merck. Foi assim que a empresa prosperou desde a sua fundação em 1668. A família fundadora continua sendo a proprietária majoritária da empresa de capital aberto. A Merck detém os direitos globais do nome e da marca Merck, com exceção dos Estados Unidos e Canadá, onde os setores de negócios da Merck operam como EMD Serono na área da saúde, MilliporeSigma em ciências da vida e EMD Electronics. Para saber mais, acesse www.merck.com.br e siga-nos no Facebook (@grupomerckbrasil), Instagram (@merckbrasil) e LinkedIn (Merck Brasil).

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe uma resposta

Vejam também

Duas novas plantas são descobertas por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia

Do gênero Microlicia, espécies foram encontradas em Uberlândia, Uberaba, na região central…