Home Universidades Federais UFMG – Cientistas se unem para combater notícias falsas durante a pandemia

UFMG – Cientistas se unem para combater notícias falsas durante a pandemia

0
0

Professor da UFMG participa de seminário promovido pela Academia Brasileira de Ciências com propostas contra as ‘fake news’, nesta terça, 14

A pandemia mostrou na prática o perigo das notícias falsas e de não confiar na ciência. Contra isso, um grupo de cientistas da Academia Brasileira de Ciências (ABC), entre eles o professor Yurij Castelfranchi, da Sociologia UFMG, uniu-se e vai apresentar propostas para barrar a desinformação durante o seminário virtual Comunicação científica: como falar mais alto do que a desinformação?, que acontece nesta terça-feira, 14 de setembro, às 16h, com transmissão pelo YouTube da ABC.

Participam do debate, além do professor Castelfranchi, o jornalista Herton Escobar, da Universidade de São Paulo (USP), atual colaborador da revista Science, dos Estados Unidos, e a paleontóloga e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Aline Ghilardi, criadora da rede de divulgação Colecionadores de Ossos.

O presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, vai mediar o debate, ao lado da bióloga da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e acadêmica da ABC Débora Foguel. Em um momento no qual proliferam as chamadas fake news, os três participantes vão discutir como os cientistas podem combater a desinformação nas redes sociais, principalmente com relação a vacinas contra a covid-19. Eles também indicarão erros frequentes que cientistas costumam cometer na hora de divulgar seus trabalhos, além de ferramentas para que produções e pesquisas científicas no Brasil sejam mais divulgadas e conhecidas.

“A comunicação científica é absolutamente necessária e relevante nestes tempos inéditos em que estamos vivendo. Serão dicas valiosas, como as de evitar armadilhas para que a possamos falar de uma maneira mais próxima da sociedade”, afirma a bióloga Débora Foguel.

Participantes

Herton Escobar (USP) – “Universidades: comunicação científica de alto nível e alto impacto”
Jornalista profissional, especializado na cobertura de ciência e meio ambiente. Trabalha na Universidade de São Paulo (USP), como repórter especial da Superintendência de Comunicação Social desde 2019. Antes disso, durante quase 20 anos, foi repórter do jornal O Estado de S. Paulo, com mais de 2 mil reportagens publicadas em formato impresso e digital, sobre uma grande variedade de temas. Desde janeiro de 2015 é também colaborador internacional da revista Science, dos Estados Unidos.

Aline Ghilardi (UFRN) – “Divulgação científica nas redes sociais”
É criadora da rede de divulgação Colecionadores de Ossos, vinculada às iniciativas Science Blogs Brasil e Science Vlogs Brasil. Professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), doutora em ciências/geologia, com ênfase em paleontologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desenvolve pesquisas em paleobiologia, paleontologia e osteo histologia de vertebrados.

Yurij Castelfranchi (UFMG) – “Top 10: erros e acertos na divulgação científica”
Professor associado do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Coordena o Observatório Interdisciplinar InCiTe (Inovação, Cidadania, Tecnociência); é pesquisador do Instituto Nacional para Comunicação Pública da C&T (INCT-CPCT) e coordena o curso de especialização em comunicação da ciência da UFMG, Amerek. Doutor em sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Fez graduação em física e mestrado em comunicação da ciência, ambos na Itália.

Serviço:

Webinário Comunicação científica: como falar mais alto do que a desinformação?
Data: 14 de setembro
Horário: 16h
Transmissão: YouTube da ABC

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe uma resposta

Vejam também

Duas novas plantas são descobertas por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia

Do gênero Microlicia, espécies foram encontradas em Uberlândia, Uberaba, na região central…