Home Uncategorized UFRRJ – Projeto digitaliza 15 mil arquivos de cordéis brasileiros

UFRRJ – Projeto digitaliza 15 mil arquivos de cordéis brasileiros

0
0

A ação de extensão colocou todo o acervo da Academia Brasileira de Literatura de Cordel em formato digital

Na última sexta-feira (19), um evento comemorativo em homenagem ao aniversário de Leandro Gomes de Barros, considerado o pioneiro da literatura de cordel no Brasil, celebrou o lançamento da digitalização do acervo de cordéis da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC). A cerimônia celebrou o Dia do Cordelista e contou com a participação da professora Elis Regina Barbosa Ângelo, do Departamento de Administração e Turismo da UFRRJ.

Durante a programação, a docente apresentou os resultados do projeto de extensão intitulado “Identidades e expressões populares no Rio de Janeiro e em São Paulo: territórios da literatura de cordel”, coordenado e efetivado por ela, que objetivou o aprofundamento das relações entre a produção das expressões culturais da Literatura de Cordel das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo e o patrimônio cultural nacional.


Da esquerda para direita: Fernando Brunner (Fapur), Clarissa de Oliveira (Fapur), professora Elis Regina e reitor Roberto de Souza.

A ação que encerra com o fim da digitalização nasceu, portanto, da demanda colocada pela academia e pela necessidade de preservar a memória da literatura de cordel no Brasil presente nos arquivos e materiais em deterioração da organização. Para isso, foi criada uma base de dados de materiais culturais do povo nordestino com cerca de 15 mil cordéis e 5 mil títulos em arquivos digitais com conteúdo em formato eletrônico (PDF e EPUB), que permite a consulta sem manuseio físico. O acesso é permitido exclusivamente aos membros da ABLC, pesquisadores, e ao governo federal. Entretanto, segundo a professora Elis, a Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro tem intenções de disponibilizar o conteúdo produzido em suas bibliotecas.

Com frutos desde 2015, essa ação em parceria com a ABLC foi gerida pela Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnologia da UFRRJ (Fapur) e financiada com recursos da Secretaria de Cultura do Ministério do Turismo a partir de 2019. Na solenidade de abertura, participaram também o reitor da UFRRJ, Roberto de Souza Rodrigues, e a vice-presidente da Fapur, Clarissa Oliveira da Silva.

 

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Uncategorized

Deixe uma resposta

Vejam também

UFMG e Embrapii celebram novos acordos para transferência de conhecimento

CTNano vai participar de projetos relacionados ao grafeno; unidade de fármacos e vacinas f…