Home Universidades Federais UFFS – Palestra busca promover reflexões sobre a inclusão de estudantes cegos

UFFS – Palestra busca promover reflexões sobre a inclusão de estudantes cegos

0
0

Evento on-line é aberto a todos os interessados, especialmente estudantes de licenciaturas.

Estudantes de licenciaturas da UFFS e da comunidade regional, e especialmente os da Licenciatura em Matemática da UFFS – Campus Chapecó, estão convidados a participar da palestra “Tenho um aluno cego e agora? Reflexões sobre a inclusão na contemporaneidade”. O evento será on-line, na sexta-feira (25), a partir das 19h, com a professora Daiana Zanelato dos Anjos.

A professora é doutora em Educação Científica e Tecnológica (UFSC), atua como docente na rede estadual de Santa Catarina e atualmente está na SED/SC. Ela pesquisa o tema há dez anos, e considera, a partir dos resultados que já obteve, que a linguagem é o grande desafio de professores com estudantes cegos. “A linguagem como ferramenta de comunicação tem no Braille a forma com que o cego se comunique por escrito com o mundo e isso não seria empecilho se o desconhecimento por parte de grande parte dos professores que circunda essa forma escrita não fosse ainda tão grande. Nós já demos uma boa largada quando conseguimos incluir a Libras nas licenciaturas, mas ainda há muito o que se pode pensar para que as nossas formações iniciais prezem pelo ideal da inclusão.”.

A professora reforça que a raiz da discussão está nos cursos de licenciatura. “Deve partir de nossos cursos de licenciatura a formação inicial básica. Dar ideia ao graduando que a diferença é parte constitutiva do ser humano e que a diversidade é característica forte de nossa espécie. Partir do pressuposto que a diversidade é princípio formativo, faz com que se desenhe um curso de licenciatura com poder humanizador em seus futuros professores”, ressalta.

Para a inclusão dos estudantes cegos, ela aponta que o ponto de partida é bastante claro. “O professor tem no aluno uma das maiores possibilidades para aprender a ensinar. Olhar para o estudante, atentar ao que ele mostra que não entende e naquilo que é dificultoso por muitas razões. Está aí um bom pontapé inicial: desenhar o perfil do estudante que almeja ensinar”, explica.

Estes e outros temas serão abordados na live, que é promovida pelo CCR Psicologia e Educação Matemática, com apoio do curso de Licenciatura em Matemática.

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe um comentário

Vejam também

FNE publica moções aprovadas na Conae 2024

O Fórum Nacional de Educação (FNE) torna público o conjunto das 57 (cinquenta e sete) Moçõ…