Home Universidades Federais UFSB tem projeto sobre racismo e antirracismo contemplado em edital do CNPq

UFSB tem projeto sobre racismo e antirracismo contemplado em edital do CNPq

0
0

Uma iniciativa de pesquisa dentre as contempladas no recente edital universal do CNPq, o projeto Racismo e Antirracismo no Ensino de Línguas no Estado da Bahia vai promover um curso de pós-graduação no tema. A ideia, explica o coordenador do projeto, professor Gabriel Nascimento dos Santos, é que o curso seja uma formação continuada em nível de pós-graduação (aperfeiçoamento) para docentes de línguas na região.

O projeto contemplado tem como objetivo entender quais são as estratégias antirracistas no ensino de línguas a partir das próprias experiências de professores de línguas baianos, tendo em vista a compreensão de como o ensino de línguas pode se tornar mais equitativo para pessoas negras, além de nos permitir entender como professores negros e brancos constroem suas noções de cidadania linguística em sua atuação.

O curso conta com aprovação do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências do Campus Jorge Amado (IHAC-CJA) e foi contemplado na categoria de Grupos Consolidados. Além do professor Gabriel, que leciona e pesquisa no IHAC CJA, a equipe do projeto inclui pesquisadores em três continentes, sendo dois pesquisadores de universidades americanas e um da Austrália, seis pesquisadores de universidades brasileiras diferentes e estudantes de pós-graduação e graduação. Integram o grupo: Maria D’Ajuda Alomba Ribeiro (UFRR/UESC), Joel Austin Windle (University of South Australia), Bekisizwe Ndimande (University of Texas at San Antonio (EUA)), Kelly Barros Santos (UFRB), Edvan Pereira de Brito (University of Arkansas, Fayetteville (EUA)), Jefferson Gustavo dos Santos Campos (UEM), Nicolas de Oliveira Santos (UESC), Lucas Fabiano Oliveira Costa (UESC), Gabriel Souza Gonçalves (UFSB), Kemilly Jovelina Rodrigues dos Santos (UFSB), Romar Souza Dias (UNEB) e Marco Antonio Lima do Bonfim (UFPR). O professor Gabriel destaca ainda que a maioria dos participantes são pessoas negras.

Será durante o curso que a equipe investigará etnograficamente quais são as pedagogias racialmente relevantes que constroem noções de cidadania linguística e pertencimento linguístico, como isso é manifestado nas aulas e quais pedagogias podem ser sistematizadas como tecnologias educacionais no campo do saber da Linguística. A expectativa é de que parcerias viabilizem a participação de professores/as de idiomas da rede pública de três macrorregiões: Sul, Sudoeste e Recôncavo da Bahia.

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe uma resposta

Vejam também

Um encontro entre Estado, Governo e Universidade – Por Gustavo Balduino

Essa trilogia busca, pelos olhos e nos limites desse observador, interpretar politicamente…