Home Universidades Federais UFAM realiza cerimônia de acolhida a estudantes estrangeiros

UFAM realiza cerimônia de acolhida a estudantes estrangeiros

0
0

Com um total de 29 estudantes estrangeiros estudando nos cursos de graduação e pós-graduação, por meio de Programas como: PEC-G, PROAFRI e PAEC, ofertados pela Assessoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais da Universidade Federal do Amazonas (Arii/Ufam), foi realizado na tarde desta quinta-feira, 7, no auditório Samaúma da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Setor Sul, a cerimônia de Acolhida aos Estudantes Estrangeiros, 2022.

O Reitor, professor Sylvio Puga, presidiu a cerimônia de acolhida junto com o titular da Arii, professor Henrique Pereira. Além deles, compartilharam a mesa de honra, os pró-reitores de Ensino e Graduação em exercício, Administradora Vanessa de Aguiar Ferreira e de Extensão, professor Almir Menezes.

Em pronunciamento, o reitor, professor Sylvio Puga, disse aos estudantes estrangeiros que o momento é motivo de alegria pela livre e espontânea vontade e pelo desejo na escolha da Universidade Federal do Amazonas. Para contextualizá-los das diversas ações realizadas pela Ufam, relacionadas ao apoio institucional, Puga citou as atividades desenvolvidas pela Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Proeg), representada pela administradora Vanessa de Aguiar Ferreira, no tratamento especial da vida acadêmica dos alunos estrangeiros que, segundo ele, inicia-se desde a matrícula até o último ato, a formatura. Ele citou também as ações da Pró-Reitoria de Extensão, em que está à frente o professor Almir Menezes, desenvolvendo trabalhos de interação, junto à sociedade, dos estudantes estrangeiros na inserção nos diversos segmentos com diferentes atores sociais.

Outros apoios institucionais de relevância citados pelo reitor, professor Sylvio Puga, são as atividades desenvolvidas pela diretora do Departamento de Acompanhamento e Avaliação (DAV-Propesp), professora Adriana Malheiro Alle Marie e da diretora do Departamento de Assistência Estudantil (Daest/Progesp), professora Karime Bentes, pelas ações de apoio a pós-graduação e de todo suporte social na vida acadêmica, respectivamente.

O professor destacou o trabalho da Arii junto às universidades dos países dos alunos estrangeiros e, enfatizou a centralidade de suas atividades. Sob a sua segunda gestão, o reitor relata que a Arii, sob a liderança do professor Henrique Pereira, propõe-se a re-ordenação de suas atividades com mais objetividade para o atendimento das demandas dos estudantes e, os parabenizou pela escolha da Ufam para continuar seus estudos. Disse-lhes que a Administração Superior está presente para somar na construção de uma Universidade mais Internacional.

Ao iniciar seu discurso, o titular da Arii, professor Henrique apresentou imagens da região amazônica como forma de proximidade e de entendimento sobre alguns aspectos da fauna, flora e sua geografia, que despertou curiosidade quanto ao volume e do ciclo das águas dos rios de água preta e barrenta, como também fatores sociais e econômicos. O professor discorre sobre a população originária amazônica e seu aspecto histórico, social e político. A multilinguagem proveniente dos povos originários, colocando a Ufam na condição permanente de preservação das várias linguagens existente na região.

Ao longo de seu discurso, o professor fala também sobre o aspecto histórico da Ufam, desde a Escola Universitária Livre de Manáos até sua consolidação como um dos maiores centro de ensino superior na Amazônia. No final, o professor Henrique apresenta três propostas de trabalho: criação de grupo de apoio ao estudante estrangeiro (em processo de implementação), criação da associação dos egressos da Ufam e, por ultima, a realização da primeira edição do Festival Internacional, que terá o apoio da Faculdade de Letras (Flet), envolvendo alunos estrangeiros e mais estudantes de línguas estrangeiras, tornando a Universidade, um centro internacional.

Opinião

O estudante do curso de Odontologia, o ganês Seth Okyere e também presidente da Associação de Estudantes Africanos em Odontologia, integrante do PEC-G, disse que uma das principais barreiras para os estrangeiro é o idioma. Segundo ele, apesar da Ufam oferecer curso de 6 meses no aprendizado da língua nativa, o português, considera muito complexo o processo de aprendizagem, o que resultou na reprovação de muitos de seus colegas, forçando o retorno para seus países de origem. “Eu acho muito interessante a cultura do Brasil. A adaptação foi difícil, dificultando fazer amizades, mas, hoje, posso afirmar que já me acostumei, adaptando-me com a culinária da região. Sou viciado em açaí”, comentou o estudante de Gana, país do oeste do continente africano.

“A Arii é uma ferramenta que está apoiando de todas as formas. Quando a gente está com problemas, certamente, a primeira pessoa que contatamos é a secretaria da Arii, a senhorita Laiana, que sempre tira as nossas dúvidas entre outras coisas”, completou.

Já a estudante do Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD), a peruana Karla Ximena Cáveres Bustamante, disse está satisfeita com a preocupação da Arii no tratamento de suas necessidades. “O pessoal da Arii foi muito diligente comigo, principalmente com a documentação que tinha que apresentar junto aos órgãos locais. O processo de integração na Universidade e com a cultura brasileira é muito interessante, porque estou aprendendo uma nova cultura, uma nova língua” disse a estudante e acredita que os brasileiros a entendem. “Gente muito aberta, muito gentil e isso facilita desenvolver meus estudos na Ufam”, expôs.

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe um comentário

Vejam também

Andifes trata sobre recomposição orçamentária das universidades federais com ministra Simone Tebet

A diretoria executiva da Andifes se reuniu com a ministra do Planejamento e Orçamento, Sim…