Home Universidades Federais UFLA – Pesquisa desenvolve técnica que utiliza frutos verdes na produção de cafés especiais

UFLA – Pesquisa desenvolve técnica que utiliza frutos verdes na produção de cafés especiais

0
0

Liderada pelo professor Flávio Meira Borém, do Departamento de Engenharia Agrícola da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Lavras (EENG/UFLA), uma pesquisa tem utilizado frutos verdes – antes vistos como defeituosos e que desvalorizavam o produto diminuindo o potencial de venda – para a produção de café com mais qualidade.

Buscando aproveitar todos os benefícios da segunda bebida mais consumida no mundo, que fica atrás somente da água, o estudo realizado pelo Centro de Pesquisa em Processamento de Produtos Agrícolas (UFLA) buscou alternativas que aprimoram o perfil sensorial dos grãos e aumentam a qualidade do lote de cafés na pós-colheita, mesmo na presença de grande quantidade de grãos imaturos, tornando-a mais rentável ao produtor, podendo valorizar a saca de café, aumentando o valor. “Quem trabalha com café sabe que, quanto mais frutos verdes, pior é a qualidade do café. No entanto, nós conseguimos desenvolver um método que utiliza esses frutos verdes e ainda aumenta a pontuação de um café de 77 para 83, e isso é um salto enorme, uma quebra de paradigmas no setor cafeeiro”, comenta o especialista. Os cafés especiais recebem uma pontuação específica da Specialty Coffee Association, como parte de uma criteriosa avaliação de qualidade.

No Brasil, a desuniformidades da maturação dos grãos tem sido um grande desafio, entre outros fatores, em virtude das mudanças climáticas, como período de seca, geadas e chuvas em excesso. Para a produção de cafés especiais, a situação é ainda mais complexa, uma vez que os frutos chamados cerejas (frutos maduros) necessitam de um ponto de amadurecimento ideal, que lhes confere todas as suas características, como sabor, cor e aroma.

A pesquisa do professor Borém conta com apoio da iniciativa privada e está em processo de pedido de patente. “Podemos dizer que esse é o primeiro café do mundo classificado como especial produzido a partir de 50% de frutos verdes, essa é realmente uma grande inovação”, explica o professor. Foram anos de estudo para que os pesquisadores chegassem a um método ideal de pós-colheita que incorporassem os frutos verdes a bebida e além de não causar prejuízos trouxesse acréscimo importante de qualidade sensorial e ganhos em compostos benéficos a saúde. Estimativas indicam que 13% dos grãos de café caem antes do período ideal de colheita, esse seria mais um motivo para a adiantar a colheita, o que causaria menor perda de grãos e maior vantagem econômicas ao produtor.

Rico em compostos bioativos que trazem efeitos positivos ao nosso organismo, como o ácido clorogênico, o café é uma bebida com elevado poder antioxidante, que combate os radicais livres e causa uma ação protetora no organismo, prevenindo o envelhecimento precoce e diversas doenças.

O café produzido desta forma é considerado nutracêutico já que traz benefícios nutricionais e à saúde quando consumidos sem excessos. Os frutos verdes contêm compostos fenólicos, que são antioxidantes e anti-inflamatórios. “O café normal já possui essas propriedades. Ele é antioxidante e tem várias propriedades benéficas à saúde. Com esse trabalho, conseguimos aumentar significativamente a atividade antioxidante no grão cru, e isso resulta em benefícios ainda maiores, entretanto a novidade é que a gente conseguiu fazer isso a partir de 50% de frutos verdes. Não existe histórico anterior em que se tenha obtido um resultado tão relevante quanto esse”, comenta o professor Borém.

Para os produtores, a pesquisa possibilitará uma nova perspectiva em relação aos frutos verdes, reduzindo a quantidade de café no solo e aumentando a produção da planta em anos seguintes.

Por Karina Mascarenhas

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe uma resposta

Vejam também

A trajetória de alunos da escola pública para a Universidade de Brasília

Mais um exemplo de estudantes de baixa renda oriundo de escola pública que conquistaram di…