Home Andifes Andifes e Fundação Carolina celebram acordo de cooperação educativa entre Brasil e Espanha

Andifes e Fundação Carolina celebram acordo de cooperação educativa entre Brasil e Espanha

0
0

A Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e a Fundação Carolina – instituição para a promoção das relações culturais e a cooperação no âmbito educativo e científico entre a Espanha e o resto do mundo, celebraram nesta terça-feira, 25, Convênio Específico de Cooperação Educativa para a concessão de bolsas em programas de doutorado e estágios de curta duração de pesquisa para docentes doutores.

O presidente da Andifes, reitor Ricardo Marcelo Fonseca (UFPR), e o diretor da Fundação Carolina, José Antonio Snahuja, celebraram, em cerimônia remota, o Convênio, que tem o objetivo de conceder bolsas conjuntas destinadas à formação de professores e professoras das Instituições Federais de Ensino Superior associadas à Andifes, ministradas em universidades espanholas.

“É uma imensa satisfação e um momento muito importante para a Andifes e para as universidades brasileiras a formalização dessa parceria. Agora vamos realizar e multiplicar nossas ações nos termos desse documento e, efetivamente, aproximar o conjunto das universidades federais brasileiras e a Fundação Carolina”, destacou o presidente da Andifes.

Já o diretor da Fundação Carolina, Juan Jose Martin, ressaltou na ocasião que este é o primeiro acordo que a Fundação Carolina faz com uma instituição brasileira. “É um marco a assinatura deste acordo que envolve uma série de intenções a serem desenvolvidas em convênios específicos, para impulsionar as relações entre as universidades brasileiras e espanholas. É um bom exemplo de colaboração entre os dois países”, afirmou Juan Martin.

Critérios de seleção

Serão dez bolsas concedidas por ano, sendo cinco para programas de doutorado e cinco para estágios de curta duração. Para o doutorado, o valor da bolsa contempla o valor da matrícula dos estudos; até um máximo de quatro passagens aéreas de ida e volta, em classe turística, da capital do país de residência do(a) bolsista para a cidade espanhola dos estudos; ajuda de custo para alojamento e manutenção durante o período de duração da bolsa; e seguro médico não farmacêutico durante os períodos de estadia na Espanha.

As bolsas para Estágios de Curta Duração de Pesquisa para Professores(as) Doutores(as) contemplam: passagem de ida e volta em classe turística, da capital do país de residência do(a) bolsista para a cidade espanhola dos estudos; ajuda de custo para alojamento e manutenção durante o período de duração da bolsa; e seguro médico não farmacêutico durante o período de estadia na Espanha. Os candidatos podem ser de qualquer área do conhecimento, desde que atendam aos critérios estabelecidos.

A seleção será realizada na Espanha por um comitê de avaliação composto por professores e cientistas de comprovada autoridade em diversos campos do conhecimento, considerando os critérios: excelência acadêmica; experiência profissional; a qualidade de pesquisa e a adequação da instituição, do departamento e da Universidade de destino, escolhidos pelo(a) doutorando(a), assim como o interesse científico e o valor social que revista o trabalho objeto da tese doutoral ou da pesquisa a realizar.

O Programa de Doutorado terá a duração de até um total de 21 meses, distribuídos em um máximo de 3 anos, e as bolsas de estágios de curta duração de pesquisa para Professores(as) Doutores(as) terá a duração de um período de até três meses, com uma estadia mínima de um mês, para estágios de curta duração de pesquisa.

Os candidatos e candidatas deverão atender aos dez critérios para candidatura:

I – Ser nacional de algum dos países da Comunidade Ibero-americana de Nações;
II – Ter a graduação universitária em carreiras de não menos quatro (4) anos de duração e ter obtido o título de licenciatura;
III – Estar de posse de um título de mestrado que permita o acesso direto aos estudos de doutorado ou de um mestrado que terá que ser revalidado pela universidade espanhola de destino, como passo prévio para ingressar no doutorado;
IV – Ser docente de carreira ou fixo, ou pessoal administrativo de alguma das instituições de ensino superior que integram a ANDIFES, e ser apresentado ou auspiciado pela mesma, com certificação de compromisso institucional de retorno, uma vez finalizados os estudos;
V – Cumprir com os requisitos de excelência curricular e de experiência profissional exigidos pela FUNDAÇÃO, em sua convocatória geral anual;
VI – Cumprir com as exigências legais ou contratuais estabelecidas pela universidade de origem pertencente à ANDIFES e pela FUNDAÇÃO;
VII – Contar com uma carta de aceitação da Universidade ou da instituição espanhola onde se realize o doutorado ou o estágio de pesquisa pós-doutoral;
VIII – Para as bolsas de estágio de pesquisa, estar de posse do grau acadêmico de Doutor(a);
IX – Não ser residente na Espanha; e
X – Não haver iniciado o doutorado na Espanha com anterioridade.

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Andifes

Deixe uma resposta

Vejam também

A trajetória de alunos da escola pública para a Universidade de Brasília

Mais um exemplo de estudantes de baixa renda oriundo de escola pública que conquistaram di…