Home Destaque Universidades Federais se colocam à disposição do governo eleito para auxiliar na recuperação da educação básica pós-pandemia

Universidades Federais se colocam à disposição do governo eleito para auxiliar na recuperação da educação básica pós-pandemia

0
0

Como integrante do Grupo de Trabalho de Educação, a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior – Andifes recebeu membros da comissão de transição do governo eleito, dentre os quais o coordenador setorial, José Henrique Paim. A reunião foi realizada na tarde da segunda-feira (21), na sede da Andifes em Brasília.

Na oportunidade, o presidente reitor Ricardo Marcelo Fonseca (UFPR) apresentou um diagnóstico do ensino superior público, elaborado com o auxílio dos colégios e fóruns assessores da Andifes, destacando as necessidades das universidades federais, com ênfase nas questões orçamentárias, de assistência estudantil e de pessoal para os anos de 2022 e 2023. O reitor destacou a disposição das universidades em participar do esforço nacional para garantir a recuperação das perdas sofridas pela educação básica desde o início da pandemia. “Nós temos um cenário bastante preocupante em toda a educação brasileira, desde a falta de investimentos e recursos financeiros, até a perda de aprendizagem, sobretudo na educação básica. É importante não nos esquecermos da necessidade urgente de recomposição orçamentária para a conclusão do ano letivo das universidades em 2022 e da adequação no orçamento para o financiamento justo das nossas instituições em 2023, mas, ao mesmo tempo em que temos essa preocupação, nos colocamos, universidades federais e Andifes, expressamente à disposição para auxiliar na recuperação dessas perdas e caminhar junto com o governo para colocarmos nossa educação e nossos estudantes em um caminho de qualidade e crescimento”, destacou.

As informações apresentadas pela Andifes foram encaminhadas à coordenação nacional da transição, onde servirão de subsídio para as decisões a serem tomadas pelo próximo governo.

O ex-ministro da educação, Henrique Paim enfatizou que as contribuições da Andifes e de todos os participantes da reunião irão subsidiar um relatório a ser construído pelo grupo de trabalho, por meio do qual serão apresentadas a síntese do cenário educacional brasileiro e propostas para a implementação de políticas públicas a partir de 2023. “Nós temos o papel de elaborar um relatório sintetizando as percepções das instituições que compõem esse GT, bem como as sugestões e os pontos que merecem maior atenção do ponto de vista político, orçamentário e legal. São essas contribuições, como as que a Andifes nos traz, que irão servir de base para que possamos apresentar propostas concretas para a coordenação geral da transição e, obviamente, para o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, avaliar o que será implementado a partir de janeiro”, detalhou.

Além de Ricardo Marcelo e Henrique Paim, participaram da reunião os vice-presidentes da Andifes, Alfredo Macedo Gomes (UFPE), Marcele Regina Nogueira Pereira (UNIR) e Evandro Aparecido Soares da Silva (UFMT), o secretário executivo da Andifes, Gustavo Balduino, e mais de uma dezena de representantes do GT de transição da educação, entre participantes presenciais e por plataforma virtual.

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Destaque

Deixe uma resposta

Vejam também

Andifes se reúne com ministro da Casa Civil para avaliar saídas para bloqueio de orçamento das universidades federais 

O presidente da Andifes, reitor Ricardo Marcelo Fonseca (UFPR), e o vice-presidente, reito…