Home Universidades Federais Unifesp – Pesquisa desenvolve biomateriais cerâmicos para regenerar tecido ósseo e inibir infecções por bactérias

Unifesp – Pesquisa desenvolve biomateriais cerâmicos para regenerar tecido ósseo e inibir infecções por bactérias

0
0

A dissertação de mestrado, desenvolvida por Ana Paula Nogueira Alves no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Materiais da Unifesp, teve como objetivo desenvolver scaffolds cerâmicos multifuncionais via impressão 3D a partir do revestimento com óleo de melaleuca. O estudo contou com a orientação da professora Eliandra de Sousa Trichês (ICT/Unifesp) – Campus São José dos Campos.

Os scaffolds são projetados para atuar simultaneamente na regeneração do tecido ósseo e na inibição do crescimento de bactérias associadas às infecções ósseas. Segundo Ana Paula, “tem-se estudado acerca da obtenção de scaffolds multifuncionais a partir do revestimento com óleos essenciais como alternativa ao uso de antibióticos. O óleo de melaleuca é de grande interesse por sua propriedade antibacteriana”.

O trabalho foi desenvolvido em parceria com o professor Antonio Pedro Novaes de Oliveira da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que auxiliou na obtenção dos scaffolds por impressão 3D, e com o professor Aldo R. Boccaccini, diretor do Instituto de Biomateriais da Friedrich-Alexander-Universität (FAU), na Alemanha, que contribuiu com o recobrimento dos scaffolds com óleo de melaleuca, além dos ensaios com células e bactérias. Durante o mestrado, Ana Paula passou quatro meses em estágio no Instituto de Biomateriais da Friedrich-Alexander-Universität (FAU), na Alemanha, sob a supervisão do professor Aldo R. Boccaccini, com financiamento da Fapesp.

Os resultados obtidos demonstraram que o recobrimento dos scaffolds cerâmicos com óleo de melaleuca em solução de gelatina contribuem para o combate aos agentes patógenos sem prejudicar o crescimento celular, uma vez que alcançaram viabilidade celular dentro do desejável. “Tais resultados se mostraram promissores e possuem potencial de uso na engenharia tecidual, trazendo uma nova alternativa no que tange problemas relacionados às infecções ósseas”, pontua Ana Paula.

O artigo com as principais contribuições da pesquisa foi aceito para publicação no Journal of Biomedical Materials Research Part B: Applied Biomaterials com o título de “3D-printed β-TCP/S53P4 bioactive glass scaffolds coated with tea tree oil: coating optimization, in vitro bioactivity, and antibacterial properties”.

Acesse a dissertação na íntegra aqui.

Carregue mais artigos relacionados
Carregue mais em Universidades Federais

Deixe uma resposta

Vejam também

A trajetória de alunos da escola pública para a Universidade de Brasília

Mais um exemplo de estudantes de baixa renda oriundo de escola pública que conquistaram di…